InterAffairs

Qua.10182017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
segunda, 02 março 2015 09:07

Guardem na memória… Soldado soviético salvou o mundo

Written by 

 

Em 26 de março de 1944, depois das batalhas que tinham sido travadas no território da Ucrânia Central e Ocidental em janeiro e fevereiro, o Exército Vermelho alcançou o rio Prut – a fronteira nacional da URSS com a Roménia. À esta data inesquesível na história da Grande Guerra Pátria é dedicada a exposição mutimédia promovida pela Sociedade da História Militar da Rússia sob o título “Os crimes do nazismo. AmissãolibertadoradoExércitoVermelhonaEuropa”. A exposição é baseada nos testemunhos documentais de horríveis, dramâticos e heróicos acontecimentos da guerra.

Pela primeira na exposição são apresentadas vez as fotografias e os materiais de vídeo únicos que nunca foram expostos anteriormente por motivos éticos. Realmente, não é possível estar ao lado disso sem lágrimas e dor. Estas peças de exposição têm uma significaçaõ enorme nos dias de hoje, quando o movimento neo-fascista volta a levantar a cabeça em alguns países bem conhecidos.  Apésar de várias tentativas de justificar e desculpar as ações dos nazis durante a Grande Guerra Pátria as barbaridadades monstrusas do nazismo cometitadas contra a humanidade são evidentes. Em cada família na Rússia e nas antigas repúblicas da URSS vive a memória dos acontecimentos horrorosos dos tempos da guerra. Por isso seria inadmissível qualquer adulteração dos factos históricos o que lamentavelmente tem lugar na atualidade com bastante frequência.

Na exposição são apresentados mais de 700 documentos – as provas documentais do genocídio, das ações extorcivas e de extermínio por parte da Alemanha nazista que foram destinadas contra o povo soviético e os povos do leste da Europa, bem como as provas da missão libertadora e humanitária do Exército Vermelho. Além dos documentos os visitantes poderão ver as videogravações das testemunhas oculares dos crimes monstruosos de nazis.

 “De 18 milhões dos habitantes da Europa que foram parar nos campos de concentração hitlerianos mais de 11 milhões foram exterminados, - disse numa entrevista coletiva o presidente da Sociedade da História Militar da Rússia, ministro da cultura da Federação da Rússia, Vladimir Medinsqui. – Não tenho certeza que estes números horríveis serão ouvidos no evento em Aushvitz que hoje pertence à Polónia  durante as comemorações do 70-mo aniversário da libertação do campo de concentração. Também não tenho certeza de que todos lembrarem que este campo foi libertado pelo soldado soviético, - não soldado russo, não ucranino, não tártaro, - mas exatamente soviético”.

O material exibido é um produto de autoria coletiva dos artistas do povo da Rússia, Vassili Nesterenco e Salavat Scherbacôv. A exposição foi planejada com nove temas individuais: “Os nazis chegam ao poder”, “As repressões em massa. Campodeconcentração”, “Asrepreçõesemmassa. O nazismo em vigor”, “O extermínio em massa de pessoas e o  semblante bestial do nazismo”, “Os crimes do nasismo contra a humanidade”, “O combate mortal e o preço da vitória”, “A libertação do mundo da peste parda. A vitoria”, “A memória”. Segundo disse Vassili Nesterenco, o conceito da exposição consiste na apresetação dos três participantes da tragédia: o criminoso-nazi, a vítima do nazi e o soldado soviético.

Segundo as palavras de Vladinir Medinsqui, a exposição é extraordinária porque nela são combinadas a integrante multimédia e as peças de museu, únicas do gênero. Com este projeto gostariamos de lembrar aos compatriotas e contar à juventude qual foi o preço que pagou nosso país, e que teriamos aqui se o nazi-fascismo alemão alcançaria a vitória, e que foi feita a libertação real da Europa.

No novo Picadeiro de Moscou (travessa Gueorguievsqui, 3) a exposição cessará suas atividades a 10 de março para fazer uma viagem pela Rússia, visitando São-Petersburgo, Volgogrado, a Criméia e outras cidades. Está sendo debatida a questão de levar a exposição para o estrangeiro. Existe, em particular, um acordo prévio com a China. Mais tarde a exposição será digitalizada e sua cópia virtual será apresentada por completo na página de Internet da Sociedade da História Militar da Rússia.

 

Galeria fotográfica 

 

Read 625 times