InterAffairs

Qua.08232017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
sexta, 01 novembro 2013 09:35

Equador cheio de esperanças

Written by 

Rafael Correa Delgado, o Presidente do Equador, economista e um grande amigo da Rússia, esteve em Moscou em visita oficial. Juntamente com o hóspede honorário chegou o Ministro das Relações Exteriores da República e outras entidades oficiais. O Presidente Correa teve conversações com Vladímir Pútine, entrevistou-se com o Primeiro-Ministro Dmitri Medvedev: com outras entidades, bem como com empresários da Rússia. Foi assinada uma série  de entendimentos importantes entre os dois países.

 

 

Rafael Correa já visitava nosso país. Chegou o tempo para um novo encontro do líder equadorenho com a Rússia. Nos últimos anos as relações da república situada junto à linha equatorial tinham sido bastante animadas. Aumentou consideravelmente a recíproca circulação de mercadorias atingindo no ano passado 1 bilhão e 300 milhões de dôlares norte-americanos. A república sul-americana sob a liderança de Rafael Correa fez um avanço real na cooperação com a Federeção da Rússia no domínio da energêtica. No plano de volume da paceria econômica e comercial o Equador ocupou o terceiro lugar ultrapassado apenas pelo Brasil e pela Argentina. Praticamente todos os habitantes da Rússia são familiares com flores e frutas tropicais provenientes deste país. Mas apesar de ser a mais ostensiva esta esfera da nossa cooperação econômica não é a mais importante...  

O tema da interação do Equador e da Rússia será abordado de novo. Imaginemos agora que estamos neste país sul-americano situado junto à linha equatorial. De que vive esta república hoje? Quais são as transformações que se dão nas mais importantes esferas de sua vida?

Recentemente o Governo do Equador promulgou «O Plano Nacional  de Bem Viver» para 2013 - 2017. O prazo do plano coincide exatamente com o prazo de presidência de Rafael Correa de 50 anos de idade que foi eleito o Chefe do Estedo em fevereiro último e tomou este cargo em maio. Naquela mesma altura Correa confirmou seu rumo ao prosseguimento da luta contra a miséria. Além disso, segundo dizem os politicologos, Correa trouxe ao país a estabilidade almejada. Usando da palavra logo depois da sua eleição o Presidente agradeceu à confiança que lhe tiveram dado seus partidarios. Dirigindo-se aos que não votaram a favor dele Correa prometeu que o seu Governo iria servir a todos sem exceçaõ, iria cuidar de todos os equadorenhos. Ele expressou também a prontidão para um compromisso com seus adversários políticos.  

É de notar que o Governo de Rafael Correa cumpre suas promessas de uma maneira firme e progressiva. Assim segundo as estatísiticas oficiais do Equador, foram 930 mil pessoas que com a assistência das autoridades deixaram de ser pobres no período a partir de 2006 até 2011. Este número é bastante grande para o país com a população de 15 mihões de pessoas. Mas muitas coisas ainda estão por fazer, porque 25 por cento dos equadorenhos continuam com a pobreza extrema.

O plano «Bem Viver» é uma parte do programa da “Revoluçaõ Civil” proclamado pelo líder nacional ainda durante a sua primeira presidência. No decorrer de seis anos do cumprimento do programa na economia do Equador dava-se o crescimento médio anual de 4,3 % ultrapassando o índice geral  da America Latina (3,5%).

O plano «Bem Viver» visa antes de mais nada a modernização do Equador, a irradicação da miséria e da pobreza  no país em sua forma mais grave, o aumento do bem-estar de todos os equadorenhos. Nos marcos do plano são previstas também a reforma política e econômica, a criação da infraestrutura contemporrânea, moradias por preços razoáveis garantidas aos que têm falta de abrigo, um avanço rápido da ciência e da educação.  No seu total as tarefas previstas no plano são mais de uma centena. O cumprimento delas deve resultar na edificação do «socialismo de bem viver» no país sob o controle preponderante por parte do Estado com a democracia que se desenvolveria paralelamente, a formação de participação do povo na administração e a criação de uma sociedade “na qual a posição do homem seria mais alta do que o poder do capital”.

Anoi total as planejadas despesas com o cumprimento do Plano Nacional são 70 bilhões de dôlares norte-americanos.

Cabe notar que o povo na sua maioria acredita ao Presidente Correa e está disposto a seguir suas instruções.  O rating do líder é bastante alto e segundo diferentes estimativas varia entre 60 e 70 por cento. Recentemente Rafael Correa mereceu respeito ainda maior por parte das massas populares graças às suas novas ações  que pareceram inesperadas e extravagantes – os êxitos esportivos. Ele tornou-se o primeiro Presidente do Equador que conquistou dois picos de montantas de alcance difícil. Primeiro ele subiu como alpinista à Illiniza de 5 100 metros de altura conquistando em seguida a montanha Quotopaxi que domina o país atingindo a altura de 5 900 metros. A estas escaladas o Preseidente deu o nome de  “andinistas” em vez de “alpinistas” segundo o nome do cordilheira dos Andes. Como dizem de brincadeira no Equador, agora o Presidente tem de conquistar o famoso vulcão Chimborazo o que é mais alto no país tendo 6 200 metros.  

“Em prol da pátria estou pronto para conquistar picos cada vez mais altos e difíceis”, - declarou então o Presidente do Equador aos jornalistas. 

A locução de Rafael Correa “O desenvovimento é um processo incessante do conhecimento” já se tornou aforismo. O Governo encabeçado por ele dispensa uma enorme atenção ao aperfeiçoamento do sistema de ensino. Durante a presidência de Rafael Correa o acesso dos equadorenhos ao Internet aumentou  desde 6% até 55% da população. Foi posta a tarefa de criar no país uma “vila cientifica”,  Yachay, com uma nova universidade na qual estarão sendo elaborados novos programas inovativos para a indústria nacional; bem como a de construir a Universidade do Amazonas,  Ikiam. Estes planos já estão sendo realizados. 

Um dos objetivos estratégicos do Equador sob o Governo do Presidente Rafael Correa é a obtenção de uma independência energética total do país atrvés do aumento da extração do seu próprio petróleo e do gás, bem como através da construção de novas usinas hidroelétricas e termoelétricas. Também é planejada a criação de empresas petro-químicas e de refinarias nacionais. Neste campo os equadorenhos contam numa grande medida com a assistência da Rússia.  

Gostaria de observar que nossos planos conjuntos de vantagem mútua têm sido realizados durante alguns anos. Dá-se um desenvolvimento dinâmico das relações da Rússia com o Equador tanto na esfera política, econômica  e comercial, como na científica, técnico-militar, educacional e cultural, embora este desenvolvimento não seja tão fácil e estável, como ambas as partes o gostariam ver. Mas o essencial é o fato de este processo adiantar.

Atualmente a Rússia considera o Equador um dos maiores parceiros econômicos e comerciais na América Latina. A este país situado junto à linha exportamos equatorial fertilizantes minerais, papel, aparelhagem médica, laminados metâlicos e cereais. Por exemplo, em 2012 a Rússia forneceu ao Equador 24,8 toneladas do trigo russo. O Equador fornece ao nosso país frutas tropicais, flores, café e produtos do mar: 36 empresas pesquueiras do Equador têm a licença de exportação de sua produção para a Rússia. Taissãoosfactosquecitam osperitos.

Também estão sendo desenvolvidas nossas relações na esfera da energética que têm uma importância estratégica.

Por exemplo, em 2015 as companhias da Rússia planejam terminar no Equador a construção do complexo hidroeléctrico Toachi-Pilaton no qual integram as usinas hidroelétricas em Sarapullo e em Alluriquin. Todo o equipamento necessário sera fornecido pela parte russa. Com estas instalações postos  em funcionamento  o Equador poderá assegurar sua idependência energética.

Também temos as notícias mais frescas: recentemente a Sociedade Anônima “Inter RAO-Export” e a Corporação Estatal “SELEK” concluiram o contrato de construção de uma instalção com uma turbina a gás e de uma turbina para a usina termoelétrica “Termogas-Machala” que será a primeira no Equador usina termoelétrica com o ciclo de vapor e de gás. Suapotênciainstaladavaiaumentarde 170 MWtaté 300 MWt. O contrato prevé o projetamento, fornecimento, a construção, montagem e entrada em funcionamento da instalação com a turdina a gás e da turbina a vapor, bem como a construção de uma linha elétrica e o alargamento de duas estações secundârias nas condições de execução do trabalho por completo.     

O projeto custa 230 milhões de dôlares norte-americanos. Seu finaciamento será realizado através de conceçssão de crédito pela SA “Roseximbank” sob a fiança do Governo do Equador.

Este é o segundo contrato assinado pelo Grupo “Inter RAO” com a república sul-americana. Antes disso iniciu-se a realização do projeto de fornecimento da aparelhagem para a usina hidroelétrica “Tiachi-Pilaton” com o custo de 150 milhões de dôlares norte-americanos.

Nos anos que vêm  a parte equadorenha planeja um desenvovimento mais ativo da metalurgia e do complexo petro-químico. Como participantes dos projetos nacionais do Equador também é planejado convidar as companhias estatais e privadas russas as quais, como se sabe, têm uma experiência rica e progressista nestas esferas.

Uma importância especial para o desenvolvimento de nossas relações teve também o facro da Ruússia e do Equador terem assinado  o acordo de anulação recíproca de vistos que entrou em vigor em novembro do ano passado. Agora os cidadãos da Russía podem estar no território desta república sul-americana durante o prazo até très meses tendo consigo apenas o passaporte para viagem ao exterior válido. O mesmo refere-se aos equadorenhos que visitam a Rússia. Fazem a exceção apenás as pessoas que estão em viagens comerciais ou de negócios. Neste caso é necessário obter um visto como antes.  

O aumento do turismo entre os nossos países prossegue muito devagar, quase invisivelmente. Segundo dados do Ministério do Turismo do Equador, os cidadãos da Rússia são apenas duzentos – trezentos de quase um milhão e meio dos hôspedes estrangeiros que visitam esta república sul-americana. Mas existem as esperanças de que a anulação de vistos permitir aumentar consideravelmente o afluxo  de turistas da Rússia. Entretanto seria útil acrescentar também uma integrante de transporte – vôos diretos Moscou-Quito-Moscou. Mas esta questão é estreitamente ligada à conjuntura do medrcado de transporte aéreo. Os turistas do nosso país que vêm o Equador visitam antes de mais nada as Ilhas Galápagos e a Região Equadorenha do Amazonas. Por isso, segundo a opinião dos peritos locais, o potencial está longe de ser revelado por completo. Eles dizem também que a Rússia é um dos mercados que tem o caráter prioritário para o Equador, e por isso têm a intenção de fazer todo o possível para que o número dos turistas que vêm do nosso país seja cada vez maior.  

Também as companhias turísticas da Rússia trabalham mais ativamente no mercado equadorenho. Mas fazer com que os equadorenhos visitem nosso país é atualmente ainda mais difícil do que convidar os turístas da Rússia para o país junto à linha equatorial. Em compensação os estudantes do Equador vão às instituições superiores da Rússia para fazer curso. Como informaram na embaixada equadorenha em Moscou, dezenas de jovens cidadãos do Equador estão estudando na Rússia. É de sugerir que o numero deles tenda a aumentar.

Há pouco em Quito teve lugar a Segunda Reunião da Comissão Intergovernamental da Rússia e do Equador para  a Cooperação Comercial e Econômica que foi bem sucedida. A Reunião decorreu na capital equadorenho em 24 e 25 de setembro. Tomaram parte da ceremônia de inauguração os  Co-Presidentes da Comissão, o Ministro, Rafael Poveda da parte equadorenha e o Diretor do Serviço Federal de Supervisão Veterinário e Fito-Sanitário, Serguei Danquert. As delegações tiveram uma  ordem do dia repleta discutindo os temas da economia, do comércio, da cooperação nos domínios da agricultura e da pesca, bem como as questões dos setores estratégicos.  Segundo um comunicado oficial, a parte russa confirmou a disposição das companhias e dos investidores da Rússia a trabalhar com os projetos relacionados à agricultura, energética, comunicação e com muitos outros projetos nos quais o Equador tenha um interesse especial.

Foram analisados e descutidos os problemas-chave da nossa interação, coordenadas e adotadas decisões importantes para o desenvolvimento da cooperação. Quanto às atividade da própria Comissão, as partes chegaram ao entendimento com vista a reforçar a parte relacionada com a colaboração no domínio da ciência e da cultura.  Poderia supor que muitas conclusões feitas pela Comissão formarem a base para a assinatura de novos acordos de vantagem mútua.

O Governo de Rafael Correa logo desde o início tomou o rumo à reforma e modernização do país, à ativação de uma política interna e externa mais eficiente, praticada nos interesses das massas populares do Equador. As autoridades elaboraram o plano do desenvolvimento econômico da república, adotaram os programas sociais do caráter mais amplo e real, aumentaram sua atividade econômica externa. E todos os passos  que foram dados já começaram a trazer seus resultados positivos. O povo está sentindo as mudanças para uma vida melhor. O Equador acreditou no seu líder nacional a popularidade do qual continua a um nível alto. O Equador é cheio das esperanças para um futuro melhor. E a Rússia, por seu turno, tem a confiança no seu parceiro equadorenho. 

Read 925 times Last modified on sexta, 01 novembro 2013 09:38