InterAffairs

Sex.12152017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
Аlexandre Moisseev

Аlexandre Moisseev

оbservador da revista «Меjdunarodnaia Jizn» («Vida Internacional»)

Há três acontecimentos importantíssimos que tiveram lugar em Moscou ao mesmo tempo: a sétima reunião da Comissão Russo-Brasileira do alto nível, o Forum de Negócios “Rússia-Brasil” e a nona reunião da Comissão Bilareral russo-brasileira   intergovernamental para a cooperação comercial e econômica. Às relações  estratégicas dos dois países-gigantes foram dados dois imupsos seguidos.

Gostaria de iniciar tratando o evento mais amplo e prometedor: forum “Rússia-Brasil: direções estratégicas da cooperação”.  Este encontro de homens de negócios dos dois países foi organizado pelo Comité Nacional de assistência à cooperação econômica com os países da América Latina, com apoio ativo por parte do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, da APEX-Brasil, do Conselho de Negócios “Rússia- Brasil” e do banco “Vnecheconombanc”.

Depois da ceremónia oficial de abertura do forum de negócios excelentemente organizado e realizado em conjunto com o Comité Nacional de assistência à cooperação econômica com os países da América Latina teve lugar três “mesas redondas” – “a Agricultura”, “as Tecnologias de Inovação e a Farmacéutica” e “a Infraestrutura e a Energética”. O forum de negócios foi caraterizado por uma alta atividade dos seus participantes, antes de tudo, das companhias-integrantes do CN  ACEPAL e de uma série de outras organizações e corporações.

Também chegou a um término auspicioso a nona reunião da Comissão Bilareral russo-brasileira   intergovernamental para a cooperação comercial, econômica e técnico-científica a qual demonstrou mais uma vez que o Brasil continua sendo o maior parceiro estratégico e de negócios da Rússia na América Latina.   Segundo os resultados do ano 2014 o volume do comércio entre os dois países aumentou em 15,7% totalizando 6,3 bilhões de dólares. Com isso a exportação da Rússia cresceu em 19% (até 2,3 bilhões de dólares) e a importação do Brasil – em 19% (até 4 bilhões de dólares. Foi destacado que o objetivo da interação declarado em seu tempo – o de atingir a circulação anual de mercadorias de 10 bilhões de dólares continua sendo atual. Ambos os países dispõem do potencial necessário para isso. O CN  ACEPAL e o Conselho de Negócios para a coperação comercial, econômica e técnico-científica da Rússia com o Brasil também prometem contribuir para a chegada a esta meta. Ambas as partes são interessadas em aumento da interação.

Segundo as palavras do Vice-Presidente do Brasil, Michel Temer, ditas mais de uma vez durante sua estadia em Moscou, seu país está aguardando investimentos russos nos projetos infraestruturais no território brasileiro. Ele disse também que outro momento importante consiste no facto de o setor privado existir juntamente com os contratos entre os dois governos e os sujeitos das federações. Cumpre dizer que durante o forum de negócios foram discutidos tais projetos de alargamento da infraestrutura do Brasil, como a construção de estradas rodoviárias, ferroviárias e portos. Disso, em particular, Michel Temer  falou intervindo na ceremónia de encerramento do  forum de negócios russo-brasileiro.

O Vice-Presidente também expressou o interesse da parte brasileira no desenvolvimento da cooperação técnico-científica com Moscou. Falando da troca de experiência entre o Brasil e a Rússia Michel Temer destacou projetos bem sucedidos na agricultura, especialmente os de assistencia à atividade empresarial pequena e média nesta esfera.

O Vice-Presidente do Brasil também deu uma atenção especial a tais temas de interação como a energia nuclear, gás, petróleo. A coperação nestas esferas também é muito interessante para os brasileiros.  O Ministro da indústria mineira e da energética do Brasil teve negociações sobre este assunto exatamente durante o forum. Além disso Michel Temer informou que em Moscou tinha sido aberto um escritório da Agência de promoção do turismo brasileiro a qual, segundo ele disse, visava “estabelecer relações fraternais, ainda mais estreitas do que as existentes anteriormente”. O Vice-Presidente falou também do interesse de especialistas russos na troca de experiência com seus colegas brasileiros no que diz respeito à organização e a realização do Campeonato do mundo de futebol que teve lugar no Brasil em 2014, levando em consideração o facto de a Rússia ser o anfitrião do seguinte mundial em 2018.

Pois bem, que documentos foram aprovados durante os eventos russo-brasileiros em Moscou? Vamos enumerar os principais deles: contrato “Instalação e exploração da estação medidora de acesso direto “SM-GLONASS” no território da República Federativa do Brasil” concluido entre a SA “Corporação científico-produtiva “Sistemas de construção de aparelhos de precisão” e a Universidade Federal da cidade Santa Maria; Memorando de entendimento entre a Corporação estatal para a energia atómica “Rossatom” e a companhia “Nuclebras Equipamentos Pezados” (NUCLEP); a Ata final da nona reunião da Comissão Bilareral russo-brasileira   intergovernamental para a cooperação comercial e econômica; a Declaração conjunta sobre os resultados da sétima reunião da Comissão Russo-Brasileira do alto nível para a cooperação.

Segundo disse Dmitri Medvedev falando dos resultados da reunião da Comissão do alto nível, o Brasil continua sendo o maior parceiro comercial e econômico da Rússia na América Latina. Por exemplo, o Brasil tornou-se um dos mais importantes fornecedores dos produtos agrícolas e gêneros alimentícios para o mercado russo.

No ano passado a circulação de mercadorias entre nossos países atingiu o marco de 6,3 bilhões de dólares e continua crescendo em relação a 2013. Hoje existem umas oscilações na circulação de mercadorias, relacionadas também com os preços de matérias-primas, com a conjuntura econômica, mas não obstante temos bons recursos para recuperar os ritmos de crescimento antigos.

“Discutímos o desnvolvimento da cooperação comercial e econômica em direções mais variadas, - finalizou  o Primeiro Ministro da Rússia. – Estas são a construção de máquinas, a infraestrutura, a energética, a prospeção e mineração de carbohidratos, energética nuclear (uma prova disso foi a assinatura de um dos protocolos), a farmacéutica, a metalurgia e uma série inteira de outras direções de cooperação dos nossos países.

Dmitri Medvedev disse que a Rússia e o Brasil iriam prosseguindo com a diversificação do comércio bilateral, orientando-se com aumento da produção de artigos com uma mais-valia alta, iriam desenvolver investimentos... 

Foi exatamente o forum de negócios que se caraterizou por um interesse grande em aumento ativo da interação russo-brasileira revelado pelas companhias dos nossos países. Por exemplo, a corporação russa “Irkut” é interessada em fornecimento para o Brasil de aviões de carreira modernos “MS-21” e em instalação de produção de alguns componentes deste avião no território deste país latino-americano. “MS-21” é um avião de carreira russo que está sendo criado pela corporação “Irkut” para substituir “TU-154” e “TU-134”. “MS-21” existe em três versões: “MS-21-200” (150 passageiros), “Ms-21-300” (180 passageiros) e “MS-21-400” (212 passageiros). O avião vai ser produzido na empresa de Irkutsk. O diretor da Corporação de construção de aviões unificada, Yuri  Slussar, informou antes que a apresentação do avião terá lugar no fim do ano em curso em Irkutsk e seu primeiro vôo é planejado para os meados de 2016.

Deste modo a companhia “Irkut” procura entrar no mercado latino-americano através do Brasil. As negociações no forum de negócios em Moscou resultaram num memorando de entendimento e cooperação assinado pelos representantes da “Iirkut” com os parceiros do Estado do Paraná. Além disso a companhia russa propõe criar um cluster aéreo na cidade de Maringa.

Existem todas as  facilidades fiscais necessárias para a implementação do projeto, disse aos jornalistas a Vice-Governatriz do Estado do Paraná, Sida Borjetti. Também é prevista a preparação de pessoal qualificado para o cluster à base da universidade local.

...Nososs países e comunidades de empresários têm varias coisas para oferecer um ao outro em tais esferas, como comercial, econômica, de investimentos, científica, militar, cultural e humanitária. Os homens de negócios da Rússia e do Brasil têm um interesse exteremo em uma parceria mutuamente completável, estratégica. Por isso não há dúvida que o objetivo mútuo dos nossos países, o de alcançar a circulação de mercadorias conjunta de 10 bilhões de dólares, será alcançado com sucesso.

...Finalizando gostaria de  dar uns conselhos importantes a nossos homens de negócios que começam a coloborar com seus colegas brasileiros.

Qualquer pressa e ações precipitadas são inadmissíveis nas relações de negócios com representantes do “Gigante Tropical” sendo estas relações, via de regra, comedidas e ponderadas. Não vale a pena tratar de questões de negócios  logo a partir do início de contato. Dé pouco tempo às atitudes não-formais. 

Aos que procuram penetrar no mercado brasileiro os peritos aconselham atuar através de um intermediário local (“despachante”) que se encarrega de resolver problemas burocráticos e dá a conhecer o estatus financeiro das companhias em questão.

Fazer negócios com brasileiros é impossível sem contato visual e comunicação pessoal com parceiro. Só um círculo limitado de questões pode ser resolvido artavés de telefone, fax ou e-mail.

Peritos experientes não aconselham mudar negociadores que representam sua companhia. Seria melhor que a informação no seu cartão seja somente em inglês ou em inglês e em português simultaneamente.

É desejável travar negociações com parceiros em inglês ou em português. Em caso de necessidade é possível contratar um intérprete.

Apresentações devem ser vivas e extravagantes.

Brasileiros gostam de regateio e não têm muita vontade de fazer concessões.  

Procurando defender seu ponto de vista durante um debate animado brasileiros frequentamente dizem “não” e parecem bastante irritados. Mas não se deve ceder ao estado de espírito do parceiro, seria melhor continuar o diálogo de uma maneira calma, dentro do espírito de uma parceria bondosa e aberta. Com isso trate de evitar a tática de pressão. Brasileiros odeiam quaisquer confrontos.

Ter paciência é uma condição idespensável para negociações com parceiros vindos do “Gigante Tropical”. O exame de obrigações contratuais é um processo longo, e um par de encontros seriam insuficientes. É possível que para a conclusão de um negócio seja necesário muito tempo, sejam necessários encontros prévios e viagens para o Brasil. É extamente esta razão porque o desenvolvimento de nossas relações de negócios exige impulsos periódicos feitos tanto “de cima”, como “de baixo”. Os eventos de negócios bem-sucedidos que tiveram lugar em Moscou tornaram-se uma confirmação do facto de estas particularidades do business russo-brasileiro terem sido compreendidas.

segunda, 28 abril 2014 09:36

“Adeus, Gabo!”

Grande prosador do século XX, laureado com o Prémio Nóbel de Literatura, Gabriel José García Márquez foi-se para a eternidade. Isso aconteceu quando ele teve 87 anos de idade, em 17 de abril, na Cidade de México onde o escritor morava praticamente permanente durante as últimas décadas. Nestes dias todos os leitores, todo o mundo literário e jornalista estão lamentando, e na Colômbia, país natal do escritor, foi proclamado luto de três dias.

É sempre triste a percepção de uma êpoca de corifeus estar acabando aos seus olhos, sendo esta êpoca uma parte da sua vida, da vida de um testemunho ocular da êpoca grande das grandes pessoas.

No Centro de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da Rússia teve lugar a apresentação da monografia coletiva sob o título “Experiência internacional de assistência aos compatriotas e defesa dos seus direitos” preparada e editada pelo Conselho internacional dos compatriotas da Rússia (CIPR) com a coloboração da Fundação de assistência aos compatriotas que vivem no estrangeiro e de defesa dos seus direitos. (“Experiência internacional de assistência aos compatriotas e defesa dos seus direitos”. Autoriacoletiva. ConselhointernacionaldecompatriotasdaRússia. -  М.: Vtoráiatipográfia. 2013.- 312 p.). 

sexta, 07 fevereiro 2014 12:42

América Latina agrada a nós cada vez mais

A América Latina vem demonstrando ao mundo seu caráter único e uma unidade crescente dos países que têm um destino histórico e o idioma comuns, bem como a aspiração a um futuro comum, sendo esta demonstração cada vez maior. Aqui basta fazer lembrar da criação e fortalecimento de tal organização regional da cooperação política e econômica, como a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e da Bacia das Caraíbas (CELAC) que visa resolver os problemas regionais “no seu próprio meio”. Cuba integra nesta organização, mas os EUA e o Canadá não têm a representação nela.

terça, 31 dezembro 2013 13:53

Sobre o passado do Brasil, tal como é

Este livro que acabou de vir a lume na Rússia (publicado na editora “Ves Mir”) é da autoria do renomado historiador brasileiro, filósofo e cientista político, professor catedrâtico da Universidade de São Paulo (USP) Boris Fausto. À primeira vista seu título é muito simples – “História Concisa do Brasil” (Boris Fausto. História Concisa do Brasil. Tradução do português: Liudmila Okuneva, Doutora titularem História, Professora titular e Olga Okuneva, Doutora em História pela Universidade Estatal Lomonossov de Moscou e pela Universidade París-Sorbona.Editora “Ves Mir”, Моscou. 2013. – 448 págs)

A Espanha e a Grã Bretanha estão a ponto de uma nova guerra diplomâtica. E mais uma vez por causa do Guibraltar. Este litígio entre Madrid e Londres  periodicamente volta a ser acesa já no decurso de três centenários.