InterAffairs

Dom.10222017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
terça, 25 julho 2017 11:22

jornal “Diário de Notícias” (Brasil), jornal “Folha de São Paulo” (Brasil), jornal “Diário de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Angola” (Angola)

jornalDiáriodeNotícias” (Brasil), 25.07.2017

 

Coreia do Norte ameaça lançar ataque nuclear "no coração dos EUA"

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25./07/2017 12:44:00

A Coreia do Norte ameaçou lançar um ataque nuclear "no coração dos Estados Unidos", caso o governo do presidente Donald Trump tente realizar alguma mudança no regime de Kim Jong Un, informou a agência de notícias estatal norte-coreana nesta terça-feira.

Na semana passada, em um fórum, o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos EUA, Mike Pompeo, fez alusão à possibilidade de uma mudança no regime norte-coreano. "Se os EUA se atreverem a mostrar até o menor sinal de tentativa de remover nossa liderança suprema, lançaremos um golpe implacável no coração dos EUA com o nosso poderoso aparato nuclear", disse a KCNA.

De acordo com a agência norte-coreana, as observações de Pompeo "passaram do limite, e agora ficou claro que o objetivo final do governo Trump é a mudança de regime".

O ministro da Unificação da Coreia do Sul, Cho Myoung-gyon, se reuniu nesta terça-feira com o embaixador japonês Yasumasa Nagamine para tratar da situação na Península. Enquanto isso, um dos encarregados das negociações nucleares da Rússia, Oleg Burmistrov, visitou a Coreia do Norte para tratar do quadro, segundo a imprensa estatal norte-coreana.

De acordo com uma autoridade militar citada pela rede americana CNN, há sinais de que a Coreia do Norte prepara mais um teste de míssil. O governo de Seul afirmou que monitora atentamente a situação, mas que não discutirá abertamente questões de inteligência.

Rússia nega que tenha ordenado reunião entre Kushner e presidente de banco russo

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25./07/2017 08:45:00

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou nesta terça-feira que o encontro entre Jared Kushner, genro e assessor sênior do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente de um banco russo não ocorreu seguindo as ordens do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Em dezembro, Kushner se reuniu com o presidente do banco estatal russo Vneshekonombank, Sergei Gorkov. O encontro foi incluído em uma declaração de Kushner entregue ao Congresso americano na segunda-feira, como parte de uma investigação sobre possíveis conexões entre a campanha de Trump e o governo russo.

Kushner afirmou que tinha sido convidado a se encontrar com Gorkov por intermédio do então embaixador russo nos EUA, Sergei Kislyak. "Esses contatos não exigem autorização do Kremlin e eles não foram realizados em nome do Kremlin", disse Peskov, em entrevista coletiva. Fonte: Associated Press.

 

Papa Francisco faz apelo à moderação e ao diálogo entre palestinos e israelense

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 24/07/2017 21:52:47

O Papa Francisco fez domingo (23) um apelo para incentivar a moderação e o diálogo entre palestinos e israelenses em Jerusalém. O apelo líder da Igreja Católica ocorreu pouco mais de uma semana após o atentado na Esplanada das Mesquitas, ocorrido no dia 14, que deixou cinco mortos.

Desde o ocorrido, uma onda de violência estourou na região.

“Acompanho com preocupação as graves tensões e violências desses últimos dias em Jerusalém. Sinto a necessidade de expressar um apelo à moderação e ao diálogo. Peço que se unam a mim nas orações para que o Senhor inspire todos para o propósito da reconciliação e da paz”, disse o papa no Vaticano, durante a tradicional celebração do Ângelus.

A escalada de violência teve início após a morte de dois policiais israelenses na Cidade Velha de Jerusalém. Os agentes foram mortos a tiros por três árabe-israelenses abatidos logo em seguida. O governo de Israel afirmou que as armas utilizadas haviam sido escondidas na Esplanada e fechou o acesso ao local por dois dias.

Desde então, as autoridades de Israel aumentaram as medidas de vigilância e irritaram os palestinos que consideram a Esplanada um dos lugares santos de Jerusalém.  

 

Sede da ONU em Nova York é evacuada após alarme de incêndio ser acionado

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 19/07/2017 18:18:53

A sede das Nações Unidas em Nova York foi esvaziada terça-feira (18) por cerca de meia hora depois que o alarme de incêndio foi acionado, mas um porta-voz da organização confirmou que não havia qualquer sinal de fogo. As informações são da Agência EFE.

Todas as pessoas que estavam no prédio, cerca de 2 mil, tiveram de deixar o complexo pouco depois das 11h locais (12h de Brasília) e puderam retornar meia hora depois.

O porta-voz Farhan Haq informou que o alarme foi ativado no segundo subsolo do complexo, em uma das salas dos ventiladores. “Tivemos que ordenar a liberação do prédio como precaução em caso de incêndio”, acrescentou Haq.

No entanto, após uma inspeção, confirmou-se que não havia fogo no edifício, por isso as pessoas puderam retornar ao local.

“Para nós, ficou claro que não havia uma ameaça para as pessoas”, acrescentou o porta-voz, que atribuiu o ocorrido a algum problema no alarme de incêndio da sala dos ventiladores que garantem que não haja o superaquecimento dos equipamentos instaladas no complexo.

O alarme obrigou o Conselho de Segurança a encerrar sua sessão, na qual eram discutidos temas vinculados à missão da ONU no Haiti, e os representantes dos 15 países tiveram que deixar a sala.

 

jornalJornaldoBrasil” (Brasil), 25.07.2017

 

 

Premier e general chegam a acordo para trégua na Líbia

Pacto é essencial para solucionar crise no Mediterrâneo Central

Agência ANSA

Em um encontro na cidade francesa de La Celle-Saint-Cloud, nos arredores de Paris, o primeiro-ministro do governo de união nacional da Líbia, Fayez al Sarraj, e o general Khalifa Haftar, que controla territórios no leste do país, chegaram a um acordo de cessar-fogo e para a realização de eleições no primeiro semestre de 2018.

O pacto representa uma importante vitória política para o presidente da França, Emmanuel Macron, dentro da União Europeia, já que é considerado um passo crucial para solucionar a crise migratória no mar Mediterrâneo Central.

"Nos empenhamos em um cessar-fogo e a nos abster de qualquer recurso à luta armada em tudo aquilo que não tiver a ver exclusivamente com a luta contra o terrorismo", diz a declaração conjunta de Sarraj e Haftar, que apertaram as mãos antes da reunião, sob os olhos de Macron.

"Hoje a causa da paz na Líbia fez um grande progresso. Quero lhes agradecer pelos esforços feitos", disse o presidente francês, chamando o tratado de "compromisso histórico". Os dois líderes antagonistas já haviam definido as bases do acordo em maio passado, nos Emirados Árabes, mas a assinatura só se deu em La Celle-Saint-Cloud.

Apoiado pela Rússia e pelo Egito, Haftar vinha sendo pressionado por seus aliados a se sentar à mesa de negociações com Sarraj e para colocar fim às divisões na Líbia, fragmentada desde a derrubada de Muammar Kadafi, em 2011, com apoio da França.

O primeiro-ministro chefia um governo de união nacional chancelado pelas Nações Unidas e fruto de um acordo assinado em dezembro de 2015, no Marrocos. Mas seu gabinete não é reconhecido por Haftar, que tem sua fortaleza em Tobruk, no leste do país, e representa as forças contrárias ao Islã político.

O general comanda um conjunto de milícias chamado Exército Nacional Líbio, que hoje também é a principal força armada do país africano. "Sarraj e Haftar podem se tornar um símbolo da reconciliação e da paz", comemorou Macron, anunciando que a Líbia terá eleições "na próxima primavera", sob supervisão da ONU.

A fragmentação do país, também protagonizada por milícias islâmicas inspiradas na Irmandade Muçulmana e grupos terroristas, abriu um vácuo de poder e fortaleceu traficantes de seres humanos que atuam no Mediterrâneo. Apenas em 2017, 93,4 mil migrantes forçados e refugiados fizeram a rota entre Líbia e Itália, um crescimento de 5,7% em relação ao mesmo período de 2016.

Com o acordo entre Sarraj e Haftar, a UE torce para que Trípoli consiga criar uma força capaz de patrulhar seu litoral e evitar que essas pessoas cruzem o Mediterrâneo em barcos clandestinos.

Na última segunda-feira (24), as autoridades líbias resgataram 3 mil indivíduos no mar e impediram a partida de outros 11 mil.

Vitória de Macron - Em pouco mais de dois meses no poder, Macron conseguiu patrocinar um acordo que a Itália perseguia havia tempos, já que o país é o principal destino dos migrantes que partem da Líbia.

Ainda assim, o presidente da França buscou ressaltar o papel de Roma nas negociações. "Quero agradecer particularmente à Itália, a meu amigo Paolo Gentiloni [primeiro-ministro], que trabalhou muito", disse Macron, garantindo que a nação vizinha faz parte da iniciativa para a estabilização da Líbia.

Nesta quarta-feira (26), Sarraj estará em Roma para uma reunião com o premier italiano, cujo governo oferece recursos, equipamentos e treinamento para a Guarda Costeira do país africano.

ONU ressalta contribuição de migrantes ao desenvolvimento sustentável

 

A representante especial da ONU para Migração Internacional, Louise Arbour, destacou nesta segunda-feira (24), em Nova York, as contribuições fundamentais dos migrantes a seus países de origem, que em 2016 totalizaram US$ 429 bilhões em remessas. Segundo ela, trata-se de "uma das contribuições mais tangíveis de migrantes" para que sejam alcançados os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em seus países de origem. A informação é da ONU News.

Louise Arbour destacou, na sede da ONU, durante uma sessão temática sobre o estabelecimento de um pacto global sobre migração e a contribuição da mesma para o desenvolvimento sustentável, que as remessas dos imigrantes a nações em desenvolvimento “tiraram milhões de famílias da pobreza" e representam um valor três vezes maior do que a assistência oficial a estes países, sendo mais estáveis do que outras formas de fluxo de capital privado.

A representante especial da ONU ressaltou, no entanto, que a contribuição de migrantes a seus países vai além das remessas de dinheiro, citando a transferência de novas ideias, habilidades, cultura e conhecimento. Ela declarou que, além disso, em linhas gerais, a migração também "fornece benefícios substanciais" aos países que os abrigam, especialmente através da contribuição de trabalhadores de vários níveis de habilidades, tanto em nações desenvolvidas como em desenvolvimento.

Barreiras

Louise Arbour elencou contudo "três barreiras fundamentais à maximização do impacto positivo da migração". Em primeiro lugar, “as políticas inadequadas que podem evitar resultados positivos de desenvolvimento". Em seguida, a exclusão de trabalhadores migrantes, em particular os sem documentos, da cobertura básica de instrumentos de proteção social. E, em terceiro lugar, Louise Arbour ressaltou que embora os benefícios da migração sejam muito maiores que seus custos, a percepção do público é "frequentemente o oposto".

Ela disse que "tais percepções e atitudes públicas têm influência negativa" sobre a escolha de políticas migratórias e defendeu que isto "deve ser revertido para que políticas sejam baseadas em evidências e não movidas por percepções equivocadas". Para a representante, o pacto global para uma migração "segura, ordenada e regular é uma oportunidade fundamental para abordar estas questões prejudicando as contribuições de migrantes ao desenvolvimento".

Suíça prende suspeito de ataque com serra elétrica

Ao menos 5 pessoas ficaram feridas na última segunda-feira (24)

Agência ANSA

 

A polícia da Suíça prendeu nesta terça-feira (25) um homem suspeito de ser o autor do ataque com uma serra elétrica que deixou ao menos cinco pessoas feridas em Schaffhausen, no norte do país.

De acordo com uma nota divulgada pelas autoridades, o agressor, identificado como Franz Wrousis, 51 anos, foi detido próximo à fronteira com a Alemanha. Wrousis não tem residência fixa, mas segundo o procurador Peter Sticher, foi encontrado um registro de moradia antigo na região de Grisões.

Na última segunda-feira (24), ao menos cinco pessoas foram feridas por Wrousis, que usava uma serra elétrica. Duas vítimas estão em estado grave e foram levadas para hospitais da região.

O agressor tem duas condenações anteriores, em 2014 e 2016, por porte de arma ilegal. A polícia descartou a possibilidade de terrorismo.

jornal “Diário de Notícias” (Portugal), 25.07.2017

 

 

Diretor de comunicação de Trump diz-se pronto para despedir para evitar fugas

PUB

O novo diretor de Comunicação da Casa Branca, recém-nomeado pelo Presidente Donald Trump, disse hoje que está preparado para "despedir toda a gente" para prevenir fugas de informação na administração norte-americana.

"Não estou a fazer uma investigação. Apenas vou fazer com que as fugas de informação parem", disse Anthony Scaramucci aos jornalistas.

"Ou param as fugas [de informação] ou são despedidos", sublinhou Scaramucci, dirigindo-se aos funcionários da nova administração de Donald Trump, que tem vindo a ser alvo de frequentes fugas de informação comprometedoras.

O novo diretor de comunicação escusou-se, porém, a comentar uma notícia do jornal online Politico de que estaria a planear despedir um adjunto para a imprensa. "É injusto comentar isso", disse apenas.

Trump nomeou Scaramucci na sexta-feira. O secretário de imprensa e porta-voz da Casa Branca Sean Spicer demitiu-se em protesto.

Anthony Scaramucci também abordou a polémica relacionada com o Procurador-Geral norte-americano, Jeff Sessions, (o equivalente a um ministro da Justiça), que tem vindo a ser atacado pelo próprio Presidente.

Sessions pediu escusa das investigações que o Departamento de Justiça está a fazer à interferência russa nas eleições presidenciais de novembro (e eventuais ligações à campanha de Trump), porque omitiu ao Congresso que também teve reuniões com representantes russos durante a campanha.

Sessions não quis dirigir uma investigação na qual também era um dos investigados, mas Trump criticou a sua decisão, considerando que a sua atitude não protegeu o Presidente da melhor maneira.

Scaramucci disse hoje que "em breve" vai haver uma decisão sobre Sessions.

"Em breve teremos um desfecho. Temos claramente um problema", reconheceu Scaramucci.

 

Sete civis mortos em explosão de carro armadilhado no Egito

 

PUB

Grupo terrorista tentou atacar um posto da polícia mas o carro explodiu antes

Quatro jihadistas e pelo menos sete civis morreram na segunda-feira no Sinai quando um grupo armado tentou atacar um posto da polícia com um carro armadilhado, que explodiu antes de atingir o alvo, indicou hoje o exército egípcio.

Num comunicado, o exército adiantou que os quatro terroristas estavam dentro da viatura e tentaram dirigir o carro para o posto da polícia no norte da península do Sinai.

No entanto, um agente da polícia apercebeu-se da situação e abriu fogo sobre a viatura, que explodiu a cerca de 200 metros da esquadra, matando também sete civis - três homens, duas mulheres e outras tantas crianças - que se encontravam próximo do local.

No comunicado, o exército egípcio indicou que o ataque ocorreu a sul da cidade Al-Arich, capital da província do Norte do Sinai, sem avançar mais pormenores.

O Norte do Sinai é uma região onde opera a ala egípcia da organização jihadista Estado Islâmico (EI), que já provocou a morte a centenas de soldados e polícias locais.

Em 2013, depois de o Presidente egípcio, Mohamed Morsi, ter ilegalizado a Irmandade Muçulmana, vários grupos extremistas multiplicaram-se em atentados contra as forças de segurança, nomeadamente no Sinai.

Navio dos EUA dispara tiros de aviso contra navio iraniano no Golfo Pérsico

  PUB

Navio de patrulha iraniano aproximou-se demasiado do norte-americano e não respondeu aos pedidos de contacto via rádio e aos sinais luminosos

Um navio norte-americano que fazia a patrulha no Golfo Pérsico disparou hoje tiros de aviso para um navio iraniano que se aproximou demasiado, anunciou hoje um oficial da defesa norte-americana citado pela AP.

O incidente não registou vítimas humanas nem danos materiais e foi o mais recente tumulto entre as marinhas dos dois países, envolvendo desta vez o USS Thunderbolt, um navio de patrulha da classe Cyclone que está sedeado no Bahrein e que pertence à Quinta Frota da Marinha dos Estados Unidos.

De acordo com o relato do oficial da marinha contactado pela AP, o Thunderbolt estava a realizar exercícios juntamente com outros navios da coligação liderada pelos EUA, quando um navio de patrulha iraniano se aproximou e não respondeu aos pedidos de contacto via rádio e aos sinais luminosos entretanto enviados.

Ao chegar a 150 jardas, cerca de 137 metros, os marinheiros norte-americanos dispararam tiros de aviso para a água, acrescentou o oficial citado pela AP.

O navio iraniano ficou então imóvel na água depois dos disparos e os navios abandonaram a área sem mais incidentes.

Os encontros entre as marinhas dos dois países são relativamente frequentes no Golfo Pérsico. Só no ano passado a marinha norte-americana registou 35 casos em que houve encontros descritos como "não seguros e ou não profissionais, o que compara com os 23 casos registados em 2015.

O pior dos incidentes do ano passado envolveu a captura de dez marinheiros norte-americanos pelas forças iranianas, com as imagens dos norte-americanos de joelhos e com as mãos na cabeça a serem aproveitadas pelos radicais para fins propagandísticos.

O Irão encara a simples presença dos EUA no Golfo Pérsico como uma provocação, e acusam os norte-americanos de comportamento não profissional, especialmente no Estreito de Hormuz, por onde passa cerca de um terço de todo o petróleo transportado por mar.

Dois caças chineses intercetam avião de norte-americano

PUB

Pentágono revela que aparelho teve de "efetuar uma manobra de desvio para escapar a uma possível colisão"

Um avião de reconhecimento norte-americano recorreu a uma manobra de desvio após ter sido intercetado por dois caças chineses sobre o Mar da China anunciou hoje o Pentágono.

O incidente ocorreu no domingo, quando dois aviões de caça J-10 chineses intercetaram um avião de reconhecimento Ep-3 da marinha norte-americana no espaço aéreo internacional a oeste da península coreana, declarou o porta-voz do Pentágono, capitão Jeff Davis.

Um dos aviões chineses colocou-se por debaixo do avião norte-americano, antes de reduzir a velocidade e forçando o avião norte-americano a "efetuar uma manobra de desvio para escapar a uma possível colisão", detalhou Jeff Davis.

O incidente "não é revelador" dos habituais comportamentos do exército chinês, precisou.

"É frequente acontecer a interceção de aviões no espaço aéreo internacional, na maior parte das situações em total segurança", acrescentou.

A China, Japão e Taiwan disputam o controlo de diversas pequenas ilhas que se encontram no mar da China oriental.

Dois terços dos analfabetos do mundo são mulheres

PUB

Pelo menos 62 milhões de raparigas no mundo não tem acesso à educação

Pelo menos 62 milhões de raparigas no mundo não têm acesso à educação e dois terços dos analfabetos são mulheres, disse hoje a diretora da UNESCO, Irina Bokova, durante uma visita ao Chile.

"É negado o direito à educação a 62 milhões de raparigas", declarou a diretora da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) durante uma conferência na Academia Diplomática do Chile, citada pelo portal de notícias brasileiro G1.

Durante a sua visita à capital chilena, Irina Bokova manifestou a sua preocupação pelas dificuldades encontradas pelas meninas para poderem ter acesso à educação.

Esta, segundo a responsável, é "uma das principais causas de exclusão social em muitas comunidades".

Irina Bokova alertou ainda sobre a falta de igualdade educacional entre rapazes e raparigas no mundo, pois somente 60% dos países conseguiram alcançar a paridade na educação primária e só 38% na escola secundária.

As mulheres representam dois terços dos 758 milhões de adultos analfabetos do mundo, o que "prejudica todas as sociedades, freia o desenvolvimento e mina os esforços de paz", acrescentou.

A diretora da UNESCO participou nesta conferência no contexto da "Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável", adotada pela ONU em 2015 e que contempla 17 objetivos com 169 metas de caráter integrado e indivisível que reúnem as esferas económica, social e ambiental.

"A igualdade de género é um elemento central da Agenda 2030", concluiu Irina Bokova. 

jornal “Jornal de Notícias” (Portugal), 25.07.2017

 

 

Chamas ameaçam casas e hotel em Setúbal

 

Um incêndio na entrada da cidade de Setúbal está a ameaçar habitações no Bairro da Reboreda e o Hotel do Sado.

A estrada N10 está cortada ao trânsito nos dois sentidos junto ao Hospital da Luz.

O incêndio terá começado por volta das 19.45 horas numa zona de mato, à entrada de Setúbal. O fogo acabou por se propagar e, neste momento, já atingiu a cidade.

As chamas obrigaram os bombeiros e a PSP a evacuar a população do Bairro da Reboreda.

As autoridades também estão a retirar botijas de gás das habitações.

O fogo está perto do Hospital da Luz.

No local, 70 bombeiros de diversas corporações, 21 viaturas e um helicóptero estão envolvidos no combate ao incêndio.

Trabalhadores sem-terra invadem fazenda da família de ministro brasileiro

 

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra ocupou esta terça-feira terras da família do ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi, em protesto conta a corrupção no país.

Além das terras do ministro brasileiro, os sem-terra invadiram fazendas de Ricardo Teixeira, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e do coronel João Baptista Lima, que foi assessor e é amigo do Presidente brasileiro, Michel Temer.

Em comunicado hoje divulgado, o MST destacou que as ocupações fazem parte de uma jornada de luta para exigir a reforma agrária e denunciar "os corruptos ruralistas que sustentam o Governo" do Brasil.

"Os latifundiários que possuem estas áreas são acusados, no cumprimento de função pública, de atos de corrupção, como branqueamento de capitais, favorecimento ilícito, estelionato [crime contra o património] e outros", refere o movimento.

"O MST também se posiciona pelo afastamento imediato de Michel Temer da Presidência da República, primeiro Presidente na história acusado formalmente de corrupção", completou.

Além das ocupações, os trabalhadores sem-terra do Brasil também afirmaram que farão uma vigília até o dia 02 de agosto, quando deverá ser votado na Câmara de Deputados (câmara baixa do parlamento) se haverá ou não a continuação da denúncia contra Michel Temer.

O chefe de Estado brasileiro foi pessoalmente envolvido num escândalo de corrupção revelado por executivos da empresa JBS em maio, que confessaram a prática de diversos crimes em troca de perdão judicial.

Nos depoimentos à justiça, os arguidos disseram que pagaram um suborno ao Presidente brasileiro e seus principais aliados.

Um dos donos da JBS, o empresário Joesley Batista, também informou que estavam pagando pelo silêncio de Eduardo Cunha, ex-deputado preso e condenado por envolvimento nos escândalos de corrupção na petrolífera estatal Petrobras, com a autorização de Michel Temer.

Para o chefe de Estado brasileiro ser processado por crime de corrupção é necessário que a câmara baixa autorize o início do processo judicial.

Cinco pessoas feridas em ataque com motosserra na Suíça

Cinco pessoas ficaram feridas num ataque, esta segunda-feira, na cidade de Schaffhausen, na Suíça, com uma motosserra. O agressor está em fuga e as autoridades negam ligações a qualquer ato terrorista.

O ataque ocorreu a meio da manhã, quando um homem armado com uma motosserra entrou num edifício de escritórios e feriu cinco pessoas. Todos os feridos foram hospitalizados, dois dos quais estão em estado grave.

A polícia já identificou o suspeito, classificando-o como "perigoso": um homem com 1,90 metros, calvo e com uma aparência descuidada. Acreditam que o homem conduz uma Volkswagen.

O alerta foi recebido pelas autoridades pouco depois das 10.30, 9.30 em Portugal. Os lojistas estão fechados nas suas propriedades e a polícia alertou os moradores para evitarem aquela área. No local, para além do forte aparato policial, há várias ambulâncias e um helicóptero de assistência médica sobrevoa a área.

Schaffhausen é a capital do cantão suíço com mesmo nome e só na zona histórica vivem cerca de 36 mil pessoas.

Mulher de 79 anos multada por conduzir Porsche a 238 km/h

Uma mulher de 79 anos foi multada em quatro mil euros por ter sido apanhada, num Porsche Boxster GTS, a conduzir a 238 km/h. Permanecerá também três meses sem poder conduzir.

O caso aconteceu, na Bélgica, na noite de 18 de junho do ano passado, mas apenas agora foi levado a tribunal. Como não conseguia adormecer, a mulher decidiu ir dar uma volta de carro. Acabou por ser apanhada pelas autoridades a 238 km/h, segundo o jornal local "Gazet Van Antwerpen".

Na semana passada, a mulher foi presente a tribunal. O juiz ficou surpreendido pela idade da arguida, inclusive perguntando se fora mesmo ela quem esteve atrás do volante no momento da infração. "Era eu que estava a conduzir. Não estava a conseguir adormecer naquela noite e, portanto, decidi dar uma volta para 'limpar' a cabeça", admitiu perante o juiz.

A automobilista explicou ao juiz que não se apercebeu de que estava a circular a uma velocidade tão alta.

O tribunal de Namur decretou uma multa de quatro mil euros, bem como uma suspensão da carta durante três meses.

Na noite da infração, a mulher de 79 anos estava a conduzir um Porsche Boxster GTS, modelo que vai dos 0 os 100 km/h em quase cinco segundos.

jornal “Jornal de Angola” (Angola), 25.07.2017

 

 

Turquia tenta resolver crise no Golfo Pérsico

25 de Julho, 2017

O Presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, tenta estabelecer, na Arábia Saudita, uma plataforma de negociações com o rei Salman, para dar solução as diferenças com o Qatar.

A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egipto cortaram laços e impuseram sanções ao Qatar no mês passado, acusando-o de apoiar o terrorismo. Doha nega as acusações.
Os quatro países querem que o Qatar feche uma base turca, restrinja as relações com o Irão e feche o canal de televisão Al Jazeera.
Segundo a agência de notícias saudita SPA, o rei Salman e Erdogan discutiram esforços para combater o terrorismo e suas fontes de financiamento.
O Presidente turco deve visitar o Koweit, que está a tentar, também, mediar a crise, e o Qatar durante a viagem de dois dias à região do Golfo Pérsico.
Na véspera, o líder turco disse que prolongar a crise no golfo pérsico “não é do interesse de ninguém”, antes de efetuar uma viagem pela região para tentar apaziguar as tensões entre a Arábia Saudita e o Qatar.

 

Rússia e rebeldes sírios fazem acordo de segurança

24 de Julho, 2017

As autoridades russas concluíram um acordo com os rebeldes sírios no contexto do diálogo de paz no Cairo para garantir a segurança na região de Guta Oriental, na Síria, anunciou o Ministério da Defesa russo.

 “Foram assinados acordos para a implementação de uma zona de 'segurança' no enclave de Guta Oriental”, na Síria, declarou o Ministério num comunicado publicado sábado.
O acordo foi alcançado em negociações entre autoridades russas e opositores moderados na capital egípcia.
As “fronteiras” da área onde se vai aplicar o mecanismo “foram definidas, assim como os lugares de deslocamento” das forças de segurança encarregadas de supervisionar o respeito ao cessar-fogo, informou o Ministério.
Também foram alcançados acordos para estabelecer “rotas de abastecimento humanitário para a população, a fim de que os residentes gozem de liberdade de movimento”.
“Nos próximos dias será enviado um comboio de ajuda humanitária e os feridos mais graves serão evacuados”, acrescentou o Ministério.
No começo de Julho, foram realizadas negociações multilaterais em Astana (Cazaquistão), que não permitiram, no entanto, garantir a segurança de várias áreas nem o estabelecimento de um cessar-fogo duradouro na Síria.
Foi mencionado um possível destacamento das forças de manutenção de paz em quatro áreas da região de Idlib, da província de Homs, do enclave de Guta Oriental e no Sul do país. Foi estudada a possibilidade de criar “centros de coordenação e de vigilância” do cessar-fogo, um “mandato” das forças estrangeiras para garantir a segurança das “zonas de segurança” e do direito desses militares recorrerem à força.
Foi prevista uma nova reunião em Astana, na qual participarão rebeldes e representantes turcos e iranianos, para “a última semana de Agosto”, segundo autoridades de Moscovo.

Vítimas da fome são já 16 milhões

25 de Julho, 2017

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) alertou ontem que cerca de 16 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária na Somália, no Quénia, na Etiópia, na Tanzânia e no Uganda e que o número de carenciados nestes países aumentou cerca de 30 por cento desde o fim de 2016.

De acordo com a FAO, com a falta de chuvas a fome piorou a situação, afectou campos agrícolas e de pastagem e provocou a morte de milhares de animais. Os níveis de precipitação caíram para menos de metade no centro e sul da Somália, no sudeste da Etiópia, nas regiões norte e leste do Quénia, no norte da Tanzânia e no nordeste e sudoeste do Uganda.
A FAO destaca que a falha da temporada chuvosa pela terceira vez consecutiva afectou a resiliência das famílias que agora precisam de apoio de subsistência “urgente e eficaz”.
O director de Emergências da FAO, Dominique Burgeon, disse que a falta de chuvas deixa as famílias sem formas de lidar com a situação que precisa de apoio antes que piore rapidamente.
Na Somália, a assistência humanitária evitou a fome mas quase metade da população não sabe o que vai comer na refeição seguinte. 
A previsão é que as condições piorem em toda a região da África Oriental.

Read 55 times