InterAffairs

Sex.05262017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
quinta, 06 abril 2017 11:09

jornal “Diário de Notícias” (Brasil), jornal “Folha de São Paulo” (Brasil), jornal “Diário de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Angola” (Angola)

Seis suspeitos de ligação com organizações terroristas são detidos na Rússia

 05/04/2017 08:42:00

Seis pessoas foram detidas por suspeitas de estarem ligadas ao terrorismo em São Petersburgo, na Rússia, informou o Comitê Investigativo, o órgão de investigação russa nesta quarta-feira.

De acordo com o órgão, os homens presos vieram das ex-repúblicas soviéticas da Ásia Central. Os investigadores suspeitam que eles sejam recrutadores de homens para se juntar às organizações de grupos terroristas na Ásia Central, como o Estado Islâmico, Frente Nusra e outros grupos desde novembro de 2015.

Um homem-bomba detonou explosivos dentro de um trem em alta velocidade na segunda-feira, matando 14 pessoas e ferindo cerca de 50.

No entanto, os investigadores ainda não possuem evidência de conexão com o homem-bomba, que foi identificado como Akbarjon Djalilov, de 23 anos, que teria nascido na ex-república soviética e adquirido a nacionalidade russa.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse às autoridades de segurança regional que o ataque ao metrô destaca a ameaça de terrorismo não está sendo reduzida.

"Vemos que, infelizmente, a situação não está melhorando. Os recentes acontecimentos trágicos em São Petersburgo são a melhor confirmação disso", disse Putin

Os investigadores disseram ainda que estão procurando a casa do homem-bomba. Fonte: Associated Press

Mortes em ataque químico na Síria sobem para 72 e ONU fala em crime de guerra

 05/04/2017 09:40:00

O número de mortos em um suspeito ataque químico no norte da Síria subiu para 72 nesta quarta-feira, informaram ativistas, levando os sobreviventes a se esconderem em abrigos subterrâneos. O ataque foi um dos mais mortais realizados durante a guerra civil no país que já dura seis anos.

De acordo com um grupo de oposição síria, novos ataques aéreos atingiram a cidade de Khan Sheikhoun um dia após o ataque que a administração do presidente dos EUA, Donald Trump, culpou o governo do presidente Bashar Assad, dizendo que seus patronos, como a Rússia e o Irã, possuem "grande responsabilidade moral" pelas mortes.

Os governos de Damasco e Moscou negaram estarem por trás do ataque. O Ministério de Defesa da Rússia, no entanto, disse mais tarde que os agentes tóxicos foram liberados quando um ataque aéreo sírio atingiu um arsenal rebelde.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que dos 72 mortos, 20 eram crianças e 17 mulheres.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) fará uma reunião de emergência nesta quarta-feira em resposta ao ataque.

"Os terríveis acontecimentos de ontem demonstram que, infelizmente, crimes de guerra estão acontecendo", disse a ONU. Fonte: Associated Press

Melenchon e Macron lideram debate de candidatos à presidência da França

 05/04/2017 07:17:00

No segundo debate de candidatos à presidência da França, realizado ontem, o esquerdista Jean-Luc Melenchon e Emmanuel Macron, que vem liderando as pesquisas de opinião, foram os mais convincentes, de acordo com sondagem da Elabe com 1.024 telespectadores.

Para 25% dos entrevistados, Melenchon foi o mais convincente dos 11 candidatos que participaram do debate de terça-feira. Macron ficou em segundo lugar, com 21% das preferências, seguido pelo conservador François Fillon (15%) e pela representante da extrema direita, Marine Le Pen (11%).

Levantamentos feitos após o primeiro debate, do qual participaram apenas os cinco principais candidatos, também mostraram que Melenchon e Macron tiveram o melhor desempenho.

O primeiro turno da eleição presidencial francesa está marcado para 23 de abril. Se houver necessidade de uma segunda votação, será em 7 de maio. Fonte: Dow Jones Newswires. jornal “Jornal do Brasil” (Brasil), 05.04.2017

 

Governo sírio acusa “terroristas” e Turquia por ataque químico no país

 

O regime do presidente sírio Bashar al Assad afirmou hoje (5) que o ataque com armas químicas ocorrido segunda-feira (3) na cidade de Khan Sheikhoun, no norte do país, no qual morreram pelo menos 72 pessoas, foi cometido por terroristas com ajuda da Turquia. As informações são da agência espanhola EFE.

"As organizações terroristas e aqueles que as apoiam cometeram isto para culpar o Estado sírio. O governo de Assad informou que grupos terroristas introduziram substâncias tóxicas no país a partir da Turquia para seu uso posterior", declarou à agência de notícias russa Interfax o embaixador sírio em Moscou, Riad Haddad.

Ele refutou as acusações de alguns países, com França e Reino Unido, que não demoraram em responsabilizar o regime de Assad pelo ataque. "A Síria nega categoricamente qualquer emprego de gases tóxicos, tanto no passado como no futuro, seja em Khan Sheikhoun ou em qualquer outra cidade do país”, destacou.

O exército sírio, acrescentou Haddad, "não tem armas químicas", já que "a Síria aderiu à Organização para a Proibição das Armas Químicas em 2013 e cumpriu com todas suas obrigações com a convenção para a proibição de armas químicas".

Rússia apoia

A Rússia garantiu hoje que segue apoiando o exército sírio, apesar das acusações contra o regime de Assad, e deixou entrever que vetará a resolução apresentada no Conselho de Segurança da ONU pela França e Reino Unido para punir o regime de Damasco.

"A Rússia e suas forças armadas continuam a operação de apoio às operações antiterroristas para a libertação do país conduzidas pelo exército da Síria", disse Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin.Sobre a votação do Conselho de Segurança sobre o incidente ele assegurou que "a Rússia apresentará de maneira argumentada os dados que foram compilados por seu Ministério de Defesa".

O porta-voz do Ministério da Defesa russo, general Igor Konashenkov, informou hoje que a aviação síria bombardeou ontem, durante uma hora, um depósito de armas dos insurgentes que abrigava uma oficina para a produção de armas "tóxicas" destinadas ao Iraque.

"Os combatentes enviavam ao Iraque armas deste enorme arsenal de armamento químico. Sua utilização pelos terroristas foi demonstrada tanto pelas organizações internacionais como pelo governo iraquiano", destacou.

Investigação

Desde o início da intervenção aérea russa na Síria, há mais de um ano e meio, Moscou nega todas as acusações de bombardeios indiscriminados contra a população civil do país.

Tanto as potências ocidentais como a China e a ONU pediram uma investigação objetiva do bombardeio, enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o Reino Unido acusaram Damasco pelo ataque químico, que a França qualificou de "crime de guerra".

Médicos Sem Fronteiras

A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) confirmou nesta quarta-feira (5) que as vítimas do último ataque na Síria atendidas por seu pessoal apresentam sintomas compatíveis com a exposição a um agente neurotóxico, como o gás sarin.

A MSF explicou em comunicado que uma de suas equipes médicas está prestando apoio ao serviço de emergência do hospital Bab Al Hawa, na província de Idlib, onde aconteceu o ataque, e pôde confirmar os sintomas nos pacientes.

“Pelo menos oito dos feridos mostraram sintomas compatíveis com a exposição a um agente neurotóxico como o gás sarin ou compostos similares, que vão desde pupilas dilatadas e espasmos musculares até defecação involuntária”, segundo a MSF.

O ataque em Khan Sheikhoun, que foi fortemente condenado pela comunidade internacional, causou a morte de mais de 70 pessoas e deixou mais de 200 feridos, segundo os últimos dados levantados pelas Nações Unidas.

Dois agentes químicos

Os médicos da MSF que estão na região visitaram outros hospitais onde as vítimas do ataque estão recebendo tratamento e informaram que os pacientes exalavam cheiro de lixívia, o que sugere que teriam sido expostos a cloro.

"Estes relatórios apontam com firmeza a que as vítimas do ataque em Khan Sheikhoun foram expostas a, pelo menos, dois agentes químicos diferentes", segundo a ONG, que administra quatro centros de saúde no norte da Síria e dá suporte a outros 150.

Moscou rejeita resolução da ONU sobre Síria, diz porta-voz

Zakharova afirmou que rascunho que será debatido é 'inaceitável'

Agência ANSA

 

 A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, afirmou que o governo russo "rejeita de maneira categórica" o "inaceitável" rascunho proposto pelos membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas.    

Os russos, que são aliados do governo de Bashar al-Assad, afirmam que o ataque químico realizado ontem em Idlib foi feito por rebeldes e não pelo Exército do presidente sírio. A posição é contrária a dos países ocidentais e será debatida ainda hoje em uma reunião do Conselho de Segurança.

Papa lamenta ataque químico na Síria e atentado na Rússia

Francisco se disse horrorizado pelos ataques,que deixaram mortos

Agência ANSA

O papa Francisco lamentou o ataque químico realizado na cidade de Khan Sheikhun, na Síria, que matou ao menos 72 pessoas, entre elas muitas crianças, nesta terça-feira (4) e o atentado ao sistema de metrô de São Petersburgo, na Rússia, que causou outras 14 mortes na última segunda-feira (3).

"Assistimos horrorizados aos últimos eventos na Síria", disse o Pontífice fazendo um apelo "à consciência de todos que têm responsabilidade política, a nível local e internacional, para que essa tragédia acabe e para que [seja possível] trazer alívio a aquela população que há muito sofre com a guerra".

O líder da Igreja Católica exprimiu sua "firme rejeição pela terrível tragédia que aconteceu ontem na província de Idlib, onde foram assassinadas dezenas de pessoas desamparadas, entre as quais tantas crianças". "Encorajo, além disso, os esforços de quem, mesmo na insegurança e na tragédia, se esforça para conseguir ajudar os habitantes daquela região", pediu Francisco.

Além disso, o religioso argentino também aproveitou e mandou seus pensamentos "ao grave atentado dos dias passados ao metrô de São Petersburgo, que provocou tantas vítimas e perdas na população". "Enquanto eu confio à misericórdia de Deus todos os que tragicamente morreram, exprimo a minha proximidade espiritual aos seus familiares e a todos que sofrem por causa deste dramático evento", concluiu o Papa.

 

Suíça diz ter bloqueado R$ 3 bi na investigação da Petrobras

MP da Suíça já devolveu mais de R$ 620 milhões às autoridades brasileiras

Agência ANSA

 

O Ministério Público da Suíça informou nesta quarta-feira (5) ter bloqueado mais de R$ 3 bilhões referente à série de investigações feitas por conta do escândalo da Petrobras. Desse montante, R$ 623 milhões já foram devolvidas para as autoridades brasileiras.

O relatório apresentado hoje mostra que as investigações, que iniciaram em 2014, já identificaram mais de mil contas com valores suspeitos ligados ao escândalo de corrupção revelado pela Operação Lava Jato.

O MP suíço ainda lembra no documento a "atenção especial" dada por eles para o caso envolvendo a corrupção na Odebrecht, também revelado pela Lava Jato, e da prisão ocorrida em fevereiro de 2016 do executivo da empresa Fernando Migliaccio, que ocorreu na cidade de Genebra.

jornal “Diário de Notícias” (Portugal), 05.04.2017

 

 

Lorde Boswell: "Direitos dos portugueses serão garantidos"

 

PUB

Garantia é do presidente da comissão de Assuntos Europeus da Câmara dos Lordes.

A saída do Reino Unido da União Europeia não vai afetar a relação com Portugal e os direitos dos portugueses vão ser garantidos, assegurou hoje em Lisboa o presidente da comissão de Assuntos Europeus da Câmara dos Lordes.

"Não estou aqui por acaso. Quarenta e cinco anos como membro da União Europeia não passam de um piscar de olhos nos 600 anos da relação entre o Reino Unido e Portugal", disse Lorde Boswell, ouvido hoje na comissão de Assuntos Europeus da Assembleia da República.

Boswell foi questionado por deputados de todos os partidos presentes na comissão sobre a necessidade de garantir os direitos dos portugueses a viver e trabalhar no Reino Unido.

Outro tema que suscitou questões dos deputados portugueses foi o dos chamados "crimes de ódio", perpetrados contra estrangeiros e que aumentaram desde a aprovação do 'Brexit' no referendo de 23 de junho de 2016.

"Enquanto comissão, pensamos que estes direitos têm de ser garantidos [...] Os portugueses, e os outros, não podem ser peões" na negociação, disse Boswell, que nas várias respostas sobre o assunto frisou a complexidade dessa tarefa mas também a certeza da necessidade de garantir esses direitos.

Sobre os crimes de ódio, Boswell disse-se convencido de que "há vontade genuína" das autoridades britânicas em punir estes crimes "de forma exemplar" de forma "a erradicar" este tipode violência.

 

 

Último balanço da explosão em Lamego: seis mortos e dois desaparecidos

 

PUB

O corpo da sexta vítima mortal foi encontrado a 200 metros do local da explosão

O secretário de Estado da Administração Interna confirmou ao meio-dia desta quarta-feira que já foi encontrado o corpo de mais uma vítima mortal da explosão na fábrica de pirotecnia em Avões, Lamego. Nesta altura, o balanço é de seis mortos e dois desaparecidos, tendo sido alargado o perímetro de busca, ao início da tarde, de 800 para mil metros.

O corpo da sexta vítima mortal foi encontrado a 200 metros do local da explosão. "Foi uma explosão de dimensão incalculável", frisou Jorge Gomes.

"Vai ser aumentado novamente o perímetro de pesquisa, vamos passar para um diâmetro de mil metros. Neste momento, já estão a ser retirados explosivos da zona onde se deu o acidente para os operacionais poderem intervir e verem se, nos poucos escombros que existem, aparecem alguns indícios dos desaparecidos", informou Jorge Gomes.

De acordo com o governante, também o número de operacionais aumentou, passando para 90, apoiados por 32 veículos.

"Estamos a retirar escombros para retirar explosivos e há explosivos que ainda não explodiram e que vai ser necessário explodir. É uma operação de grande sensibilidade e dimensão", acrescentou.

Jorge Gomes reiterou ainda aos jornalistas que está a ser feita a identificação dos corpos, que pretende que aconteça "o mais rapidamente possível", para que depois sejam entregues à família" para poderem fazer o seu luto.

"[O processo de identificação dos corpos] vai levar tempo. Há muito fragmento de corpos espalhados e tudo isso leva o seu tempo, mas vamos continuar a trabalhar no grande desígnio que é para nós, neste momento, dar conforto às famílias, numa desgraça, que é receber o corpo do seu familiar", sustentou.

No local, estão elementos do Instituto de Medicina Legal do Porto e de Coimbra, para auxiliar na identificação das vítimas.

Familiares com apoio psicológico

Antes, o secretário de Estado da Administração Interna já tinha adiantado que as famílias das vítimas estão com "apoio psicológico permanente" e que, nesta altura, a prioridade das autoridades é "encontrar as oito pessoas que estavam no perímetro". "É isso que nos preocupa", frisou.

Questionado se ainda havia esperança de encontrar pessoas com vida, o secretário de Estado respondeu apenas: "não me atrevo a dizer isso". E acrescentou que "foi uma explosão fora do normal".

As explosões ocorreram cerca das 17:50 de terça-feira e deixaram destruída uma fábrica de pirotecnia em Avões, Lamego. Morreram seis pessoas e duas outras encontram-se desaparecidas.

Atacantes de moto disparam e fazem nove mortos em São Paulo

 

PUB

Crimes ocorreram em locais que são pontos de tráfico de droga, informou a polícia

Nove pessoas morreram hoje e três ficaram feridas em duas chacinas ocorridas na madrugada de hoje em São Paulo, maior cidade do Brasil, segundo informações divulgadas pela polícia militar.

Num comunicado à imprensa, a Secretaria da Segurança Pública do estado de São Paulo disse que está a investigar os dois casos e que os disparos que mataram as nove pessoas em duas regiões distintas da cidade partiram de ocupantes de motocicletas.

"O DHPP [Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa] investiga as duas ocorrências de homicídios múltiplos. Na primeira, seis pessoas morreram e outras três foram socorridas em hospitais da região. Já na ocorrência da zona sul, três pessoas morreram, uma ficou ferida e outra saiu ilesa", esclareceu o texto.

O órgão de segurança brasileiro disse ainda que a polícia está na rua a recolher provas que ajudem na identificação dos autores dos crimes.

Segundo informações do portal de notícias brasileiro G1, a polícia informou que os locais onde os crimes aconteceram são pontos de tráfico de droga, pelo que há a suspeita de disputa pelo controlo destes locais.

Adolescente admite em tribunal que conspirou para matar papa Francisco

 

PUB

Jovem de 17 anos confessou ter recrutado um franco-atirador para disparar sobre o papa durante uma missa nos EUA, em setembro de 2015

Um jovem de 17 anos admitiu num tribunal federal em Nova Jersey, Estados Unidos, que conspirou para matar o papa Francisco durante a missa que este celebrou em Filadélfia, a 27 de setembro de 2015.

De acordo com as autoridades da cidade de Newark, Santos Colón, que poderá ser condenado a 15 anos de prisão, declarou-se culpado de tentativa de fornecer apoio ao terrorismo.

O jovem é acusado de tentar recrutar um franco-atirador para disparar sobre o papa e detonar explosivos durante a eucaristia, no Encontro Mundial de Famílias.

Colón, conhecido como Ahmad Shakoor, contactou um suposto franco-atirador, mas que era, na realidade, um agente do FBI.

O jovem foi detido 12 dias antes da missa realizada pelo papa Francisco, em Filadélfia, à qual assistiram milhares de pessoas.

jornalJornaldeNotícias” (Portugal), 05.04.2017

 

 

Jovem do Quirguistão identificado como o autor do atentado em São Petersburgo

Um bombista suicida do Quirguistão foi o responsável pelo atentado que provocou a morte a 14 pessoas no metropolitano de S. Petersburgo, disseram, esta terça-feira, fontes dos serviços de segurança de Bishkek.

"O bombista suicida do metropolitano de S. Petersburgo era o cidadão do Quirguistão Akbarjon Djalilov, nascido em 1995, disse à agência France Presse o porta-voz dos serviços de segurança de Bishkek, capital da antiga república soviética.

Uma bomba de fabrico artesanal explodiu na segunda-feira, no interior de um comboio entre duas estações de metropolitano, no centro de São Petersburgo, informou.

Na segunda-feira, a agência russa Interfax que citava o Comité Nacional Antiterrorista russo, adiantava que a bomba terá sido colocada no comboio por um bombista suicida.

Um segundo engenho explosivo foi detetado e neutralizado numa outra estação de metro, a algumas paragens da estação onde explodiu a bomba, noticiaram as agências noticiosas russas.

De acordo com um comunicado do Comité Nacional Antiterrorismo da Rússia (NAK), citado pelas agências russas, o engenho foi "encontrado e neutralizado na altura certa" na estação da Praça Vosstaniya.

 

Trump afasta Steve Bannon do Conselho de Segurança

O Presidente norte-americano, Donald Trump, afastou esta quarta-feira Steve Bannon do cargo que ocupava como seu conselheiro e chefe de estratégia do Conselho Nacional de Segurança.

Trump reverte assim uma decisão recente e polémica que dava acesso a Bannon a todas as reuniões de alto nível.

O novo memorando sobre a composição do Conselho foi publicado esta quarta-feira e na lista não consta o nome do chefe de estratégia como membro do Comité Superior, o grupo de funcionários de altos cargos que se reúne para discutir as prioridades de segurança nacional.

Além disse reintegra numa posição permanente no Conselho de Segurança Nacional o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e o responsável pelas agências de serviços secretos, que tinham sido retirados.

 

F-16 despenhou-se perto de Washington

Um avião caça F-16 da Guarda Nacional Aérea dos EUA despenhou-se, esta quarta-feira de manhã, junto à Base Aérea de Andrews, nos arredores da cidade de Washington.

O piloto conseguiu ejetar-se do aparelho durante a operação de treino, revela a Base Aérea de Andrews, onde o avião estava baseado. Sofreu ferimentos ligeiros.

 

Mulher enforcou a filha de 18 meses e suicidou-se

Uma mulher de 34 anos enforcou a filha de 18 meses e depois suicidou-se, na última terça-feira à tarde, na ilha de Maiorca, Espanha.

Segundo a Guardia Civil, citada pelo jornal espanhol "El Pais", tudo terá acontecido na sequência de uma discussão conjugal. Marido e mulher terão discutido na última terça-feira na casa do casal, no município de Llucmajor, o que levou o pai da criança a sair da residência de ambos.

Quando o homem regressou, não encontrou mulher e filha e não a conseguiu contactar através de amigos ou familiares. Já esta quarta-feira de manhã, encontrou os corpos da filha de 18 meses e da mulher enforcados no estábulo da quinta onde residiam.

Segundo as autoridades, não há indícios do envolvimento de terceiros nas mortes e não há registo de queixas de violência doméstica no casal.

jornal “Jornal de Angola” (Angola), 05.04.2017

Escudos humanos usados em Mossul


5 de Abril, 2017

A BBC teve acesso às missões de helicóptero do exército iraquiano contra combatentes do Estado Islâmico em Mossul, no norte do Iraque.

A repórter Nafiseh Kouhnavard testemunhou a utilização de civis como escudos humanos, para assim dissuadirem as forças iraquianas de dispararem. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), pelo menos 307 civis foram mortos e 273 feridos, no oeste de Mossul, entre os dias 17 de Fevereiro e 22 de Março. No vídeo da jornalista Nafiseh Kouhnavard ouvem-se comunicações que demonstram que um homem armado se encontra junto a uma mulher e uma criança, impedindo assim o helicóptero de disparar facilmente sobre o alvo.

 

 

Tribos do sul assinam acordo de paz


5 de Abril, 2017

Tribos do sul da Líbia assinaram em Roma um acordo de paz que prevê um reforço no controlo dos 5 mil quilómetros de fronteira no sul do país, onde actuam, principalmente, redes de tráfico de migrantes, confirmou no domingo o Ministério italiano do Interior.

O ministro do Interior, órgão em cuja sede foi alcançado o acordo, confirmou à agência de notícias France Press informações divulgadas ontem pela imprensa italiana, referindo-se a um acordo de 12 pontos, concluído após uma sessão de 72 horas de negociações secretas, iniciadas na semana passada, em Roma.
“Garantir a segurança da fronteira no sul da Líbia significa garantir a segurança da fronteira sul da Europa”, afirmou Marco Minniti, que acrescentou que o novo dispositivo de controlo na fronteira do sul, cujo efectivo ainda não foi definido, vai complementar a acção dos seguranças no norte para interceptar os traficantes.
O governante italiano acrescentou que negociaram em Roma 60 chefes de clãs e um representante do Governo líbio de União Nacional, baseado em Tripoli e apoiado pela OTAN e as potências ocidentais. 
No comunicado final do encontro, citado pelo jornal “Corriere della Sera”, é referido que a iniciativa de mediação italiana se destina a combater “uma economia baseada no tráfico ilegal que gera centenas de mortes no mar Mediterrâneo, milhares de desesperados em busca de uma vida melhor, um impulso populista (na Europa) e a ameaça rebelde no deserto.” Entretanto, numa altura em que as tribos do sul assinavam o acordo, a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (Unsmil) revelava num relatório que 24 civis morreram e quatro ficaram feridos entre 1 e 31 de Março na Líbia, vítimas do novo ciclo de hostilidades no país.
As vítimas compreendem nove homens mortos e três feridos, seis mulheres mortas e uma ferida e três crianças falecidas, refere o documento, que precisa que o género de dois outros civis adultos mortos continua desconhecido.
A maioria das vítimas civis foram causadas por disparos de armas de fogo (11 mortos, dois feridos), precisa o documento e acrescenta que outras causas foram os ataques aéreos (quatro mortos, um ferido), os bombardeamentos (três mortos), enquanto dois civis morreram  no despenhamento de um avião militar e um outro ficou ferido numa explosão. Geograficamente, a Unsmil documentou oito mortos e dois feridos em Benghazi, cinco mortos em Tripoli, três mortos em Ras Lanouf, um morto e um ferido em Zawiya, dois mortos em Tobruk, um morto em Sebha e um ferido em Nofliya. As vítimas eram líbias, excepto um nigeriano morto num fogo cruzado entre grupos armados em Sebha, no sul do país.
Desde a queda de Muamar Khadafi, em 2011, a Líbia vive um clima de incerteza devido à crise política profunda e à insegurança naquele país. 
O sul é o cenário de uma luta entre comunidades e clãs pelo controlo das estradas que passam pelas fronteiras, pelas quais circulam produtos manufacturados, mantimentos e gado, mas também migrantes, tabaco, drogas e armas.

 

 

Morreu Ikutaro Kakehashi


5 de Abril, 2017

O engenheiro japonês Ikutaro Kakehashi, criador da caixa de ritmos TR-808, morreu segunda-feira aos 87 anos, deixando de luto o mundo da música.

 

Entre outros instrumentos electrónicos, Kakehashi foi o criador da TR-808, a primeira caixa de ritmos usada por muitos artistas, de Kanye West a Marvin Gaye, passando pelo início de "I Wanna Dance with Somebody". Kakehashi fundou nos anos 60 a companhia Ace Tone, antes de ficar à frente da Roland e foi ontem lembrado por vários músicos, através das redes sociais. "Um homem que mudou a música", disse Marc Almond, dos Soft Cell.

Read 28 times Last modified on quarta, 26 abril 2017 11:26