InterAffairs

Qua.10182017

Last update09:48:30 AM

Leia nesta edição:
RUS ENG FR DE PL ESP PT ZH AR

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel
segunda, 20 março 2017 10:48

jornal “Diário de Notícias” (Brasil), jornal “Folha de São Paulo” (Brasil), jornal “Diário de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Notícias” (Portugal), jornal “Jornal de Angola” (Angola)

Trump escolhe marido de Kellyanne Conway para cargo no Departamento de Justiça

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 18/03/2017 21:56:00

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escolheu o marido da conselheira da Casa Branca, Kellyanne Conway, para chefiar a divisão civil do Departamento de Justiça, afirmou hoje o Wall Street Journal.

George Conway foi escolhido para chefiar o escritório que tem responsabilidade de defender, entre outras, o decreto anti-imigração do governo.

Conway é sócio no escritório Wachtell, Lipton, Rosen & Katz, de Nova York. O site do escritório afirma que ele tem grande experiência em casos envolvendo fusões e aquisições, mercado financeiro e casos antitruste. O advogado é formado em Harvard e em Yale.

A Casa Branca e o Departamento de Justiça não confirmaram a escolha neste sábado. Conway não comentou a reportagem.

Kellyanne Conway é uma especialista em eleições republicana e foi diretora de campanha de Trump. Ela ganhou rapidamente sua confiança e também é próxima de sua filha, Ivanka, e de seu marido, Jared Kushner, outra voz influente no círculo de Trump. Ela ficou mais conhecida ao afirmar que a Casa Branca ofereceu "fatos alternativos" sobre o tamanho do público que acompanhou a cerimônia de posse do republicano em janeiro. Fonte: Associated Press.

EUA abrem concorrência para construção de muro com México

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 18/03/2017 18:17:00

A Agência Alfandegária e de Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (CBP, na sigla em inglês) abriu oficialmente a concorrência para empresas que desejam projetar e construir um muro de ao menos 5,5 metros de altura na fronteira com o México.

O pedido por propostas, divulgado no site da agência na noite de ontem, é um dos últimos passos do governo de Donald Trump para entregar uma promessa de campanha, e acontece apesar de desafios significativos na parte legal e jurídica.

Segundo o documento, o governo irá considerar propostas para dois projetos separados do muro: uma parede de concreto sólido e uma feita com um material "alternativo". Ele deve ligar a cidade de San Diego até Brownsville, no Texas, ter uma altura ideal de 9,15 metros e mínima de 5,5 metros.

A construção deve ser "fisicamente imponente em altura" e "esteticamente agradável" em sua cor, textura e outros aspectos. Essa última diretriz, no entanto, vale apena para a face norte do muro, que dá para os Estados Unidos.

No documento publicado online, a CBP não especifica que tipo de material deve ser usado no muro nem dá detalhes sobre como ele será financiado.

Em seu projeto orçamentário, revelado na semana passada, Trump pediu US$ 4 bilhões para começar a planejar e construir o muro, número bem menor que os US$ 21 bilhões estimados pelo Departamento de Segurança Nacional. Fonte: Dow Jones Newswires.

 

Homem morto no aeroporto na França era suspeito de extremismo

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 18/03/2017 16:35:00

O francês de 39 anos que foi morto esta manhã no aeroporto de Orly, no sul do Paris, tinha uma longa ficha criminal e já foi investigado pelas autoridades por suspeita de terrorismo, afirmaram hoje promotores locais.

O homem foi identificado por veículos de mídia franceses como Ziyed Ben Belgacem, teria 39 anos e nasceu na capital francesa. Os relatos foram confirmados por um agente de segurança à Associated Press.

Belgacem já cumpriu pena na prisão e sua casa estava entre as que foram vasculhadas em novembro de 2015, durante a ação policial que se sucedeu aos ataques que deixaram 130 mortos na capital do país. Após o incidente deste sábado, o pai e o irmão do suspeitos foram detidos pela polícia para serem interrogados.

De acordo com o promotor François Molins, o homem atacou um soldado e seus colegas no aeroporto de Paris e gritou que gostaria de morrem em nome de Alá. Ele também disse que "independente do que acontecer, haverá mortes".

Molins disse que o rapaz apontou uma arma para a cabeça de uma soldada e a usou de escudo humano. Ele conseguiu tomar posse do fuzil da militar, ao contrário do que foi anteriormente dito, mas foi morto pelos demais soldados com oito tiros. Fonte: Associated Press.

 jornal “Jornal do Brasil” (Brasil), 19.03.2017

 

 

Na China,Tillerson debate tensão elevada na península coreana

Visita de secretário de Estado é última etapa de giro pela Ásia

Agência ANSA

 

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, reuniu-se com o ministro chinês para as Relações Exteriores, Wang Yi, neste sábado (18) e os dois afirmaram que a tensão na península coreana está "muito alta" por conta dos últimos testes nucleares da Coreia do Norte.    

"Nós temos uma visão comum no sentido de que as tensões na península coreana estão muito altas. As coisas estão chegando em um nível muito perigoso", disse Tillerson após a reunião a portas fechadas com Wang Yi.    

Durante seu giro pela Ásia, que incluiu visitas ao Japão e à Coreia do Sul, Tillerson havia dito que a "opção militar" estaria "na mesa" caso Pyongyang não parasse com os testes de mísseis nucleares. Ele ainda havia cobrado a China, principal aliada dos norte-coreanos, a fazer "mais" para levar a paz para a região.    

Além dos debates sobre a Coreia do Norte, a visita do norte-americano serviu também como um dos preparativos para o primeiro encontro entre os presidentes Donald Trump e Xi Jinping, que ocorrerá em Washington no início de abril.    

"Através de um trabalho duro de ambas as partes, as relações sino-americanas estão se desenvolvendo positivamente e de uma maneira estável depois que o presidente Trump tomou posse. A visita de Tillerson é uma passagem-chave neste sentido", disse o ministro chinês.    

Ele ainda acrescentou que, apesar de críticas públicas de Trump, "as duas nações devem resolver de maneira apropriada as diferenças movendo-se de maneira conjunta para o desenvolvimento das relações bilaterais".

Papa irá ao Egito em abril para melhorar relações com Islã

Francisco visitará a Universidade Al-Azhar, no Cairo

Agência ANSA

 

O papa Francisco viajará ao Egito no final do mês de abril, visita que, além de ser a primeira internacional do Pontífice neste ano, será um passo crucial no diálogo entre o Vaticano e o Islã. Segundo informações obtidas pela ANSA, Mario Jorge Bergoglio visitará a Universidade Al-Azhar, a instituição religiosa mais prestigiosa do Islã sunita, onde será recebido pelo grande imã, Ahmed al-Tayeb. Os dois religiosos já se encontraram em maio de 2016 no Vaticano.    

Além de ser um evento muito significativo, no qual o Papa deverá fazer um forte apelo contra o fanatismo religioso, o encontro também poderá melhorar as relações com a grande instituição sunita depois que elas foram duramente abaladas devido a um discurso realizado pelo papa emérito Bento XVI na Universidade de Ratisbona, na Alemanha. Naquela ocasião, mais especificamente no dia 12 de setembro de 2006, Joseph Ratzinger condenou a "irracionalidade" da "difusão da fé mediante a violência", como ocorre, segundo ele, nas jihads, as guerras santas islâmicas. Na época, al-Tayeb interrompeu os diálogos de paz entre as duas vertentes religiosas. Em sua viagem ao Cairo, que durará dois dias, Francisco também deverá fazer um pedido especial de proteção aos coptas, grupo étnico-religioso cristão que está sob assédio no país, sendo alvo até de grupos terroristas, como o Estado Islâmico (EI, ex-Isis).    

O Papa também realizará uma reunião com o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e outras com as comunidades católica e copta do país.

Plano para funeral da rainha Elizabeth II é revelado

Estratégias foram reveladas pelo jornal britânico 'The Guardian'

Agência ANSA

 

"London Bridge" ("Ponte de Londres", em tradução livre), este é o nome do plano que o Reino Unido vai ativar no dia em que a rainha Elizabeth II falecer, segundo informou o jornal britânico "The Guardian" nesta quinta-feira (16).

Intitulado "Operação London Bridge", o projeto detalha todos os eventos que serão realizados durante e após a morte da monarca.

Segundo a publicação, o tratamento do país será "monumental" em comparação ao da princesa Diana, que morreu em um acidente de trânsito em 1997, em Paris.

De acordo com o plano secreto, o primeiro a divulgar a notícia da morte de Elizabeth II será o seu secretário particular, Christopher Geidt. No primeiro momento, ele entrará em contrato com o chefe de governo, atualmente a primeira-ministra, Theresa May, e depois informará os funcionários do Palácio de Buckingham através de uma linha interna segura, com a mensagem "London Bridge caiu".

Além disso, a notícia será reportada pelo Centro de Resposta Global do Ministério das Relações Exteriores, em Londres, aos 15 governos fora do Reino Unido, onde a rainha também é chefe de estado. Ainda de acordo com a publicação, a notícia será enviada pelo "flash informativo" à agência britânica "Press Association" e ao restante da imprensa.

No Palácio de Buckingham, um lacaio com vestes de luto colocará uma nota oficial sobre o falecimento da monarca na porta da residência real. Todos os apresentadores dos noticiários usarão roupas pretas e a programação local será suspensa.

Segundo a reportagem, ainda há outras estratégias caso Elizabeth II morra no Castelo de Balmoral, na Escócia, ou no exterior.

Após a morte, serão decretados diversos dias de luto. No entanto, um dia depois, o príncipe Charles, herdeiro da coroa real, será proclamado rei. 

jornal “Diário de Notícias” (Portugal), 19.03.2017

 

 

Macron à frente em presidenciais só com duas candidatas mulheres

 

PUB

Um total de 11 candidatos estará presente na primeira volta. Sete são eurocéticos ou críticos da UE. Marine Le Pen será a mais votada a 23 de abril. Perde, porém, a 7 de maio.

Onze candidatos vão apresentar-se na primeira volta das presidenciais francesas a 23 de abril, com as sondagens a darem Emmanuel Macron e Marine Le Pen na segunda volta, de 7 de maio. Estes dois candidatos surgem cada vez mais distanciados nas intenções de voto.

Cada candidato tinha de apresentar ao Conselho Constitucional 500 assinaturas de detentores de cargos públicos e de acordo com um critério de diversidade geográfica, para validar a candidatura. O Conselho aprovou Emmanuel Macron, ex-ministro socialista que rompeu com o partido e se apresenta com um programa de centro-esquerda, Marine Le Pen, de extrema-direita, François Fillon, direita e centro, Benoît Hamon, socialista, Jean-Luc Mélenchon, esquerda, Philippe Pouton, do Novo Partido Anticapitalista (extrema--esquerda), Nathalie Arthaud (extrema-esquerda), Nicolas Dupont-Aignan do movimento Debout la France (eurocético e soberanista), Jacques Cheminade, eurocético e protecionista, François Asselineau, soberanista anti-União Europeia e anti-NATO, e Jean Lassale, centrista.

O prazo para a apresentação das assinaturas terminava sexta-feira às 18.00. Nas anteriores presidenciais, em 2012, foram aceites dez candidaturas.

Fillon foi o candidato que apresentou maior número de assinaturas, 3635, seguindo-se Hamon, com 2039, Macron com 1829, Mélenchon, com 805, o centrista Lassale, com 708, o eurocético Dupont-Aignan, com 707, Nathalie Arthaud, com 637, e Marine Le Pen, com 627.

Um elemento a destacar é a presença de um importante número de candidatos eurofóbicos ou críticos, sob diferentes formas, do projeto europeu. Entre os eurocéticos, a esquerda e a extrema-esquerda, são sete os candidatos que defendem a saída da União Europeia, a redefinição do papel da França neste projeto e a saída da moeda única.

Outro detalhe relevante é o facto de Macron, que surge como candidato que não é de direita nem de esquerda, ter recolhido assinaturas em ambos os campos políticos, sendo cerca de 50% de representantes de partidos de esquerda, entre os quais muitos socialistas, 11% no centro e 16% na direita, sendo os restantes independentes, segundo a contabilidade estabelecida pelo Le Parisien.

Finalmente, apesar de não serem candidatos, Alain Juppé e François Baroin, ambos do partido Os Republicanos, a que pertence Fillon, recolheram, respetivamente, 313 e 45 assinaturas.

A dirigente da Frente Nacional, Marine Le Pen, continua à frente nas sondagens, recolhendo 26% das intenções de voto, segundo um inquérito do Instituto BVA publicado ontem. Em segundo lugar surge Emmanuel Macron, com 25%. Em terceiro lugar está François Fillon, com 19,5%. O candidato do centro e da direita surge em ligeira queda após ter sido acusado de desvio de fundos públicos no caso conhecido por Penelopegate, do nome de sua mulher.

As intenções de voto dos franceses são claras para a segunda volta, com Macron a obter 62% dos votos enquanto Marine Le Pen passa de 26% para 38%. A dirigente da extrema-direita é a única mulher que, em conjunto com a líder do Luta Operária, Nathalie Arthaud, concorre às presidenciais.

Na sondagem do BVA, os candidatos socialista, Benoît Hamon, e o da esquerda apoiado pelos comunistas, Jean-Luc Mélenchon, surgem praticamente empatados. O primeiro tem 12,5% das intenções de voto e o segundo 12%.

Ainda segundo o trabalho do BVA, um número menor de franceses, face a anterior sondagem no mesmo universo de inquiridos, tenciona votar a 23 de abril: 73%. Na anterior sondagem, este número era de 74%.

Os cinco mais bem colocados nas sondagens participam amanhã no primeiro de três debates da televisão TF1.

Homem ameaçou atacar Casa Branca com uma bomba

 

PUB

Os serviços encarregados pela segurança do Presidente norte-americano reforçaram no sábado à noite a vigilância da Casa Branca, depois de um homem ter sido detido quando proferia ameaças num dos postos de controlo de acesso, anunciou um responsável.

O desconhecido - que afirmava que tinha uma bomba no seu automóvel - foi imediatamente detido e o veículo confiscado, segundo a cadeia de televisão CNN.

No sábado, "cerca das 23:05 (03:05 de domingo em Lisboa), um homem chegou de carro até um posto de controlo dos serviços secretos", indicou um porta-voz desta unidade de elite encarregada de assegurar a segurança do Presidente e de personalidades nos Estados Unidos.

"Os agentes interpelaram o homem, depois de declarado suspeito o seu veículo" e puseram-se em posição para replicar a qualquer ataque.

Algumas horas antes, uma pessoa tinha sido detida depois de ter saltado por baixo de um porta-bicicletas, aparentemente para tentar passar os muros da Casa Branca, indicaram os serviços secretos.

Este homem - que foi detido e pode ser acusado - não tinha qualquer arma, disse um agente que pediu para não ser identificado.

Estes incidentes ocorrem uma semana depois de um sério alerta. A 10 de março, um homem conseguiu entrar para o recinto da Casa Branca e deambular nos jardins da residência presidencial durante mais de um quarto de hora antes de ser interpelado.

Donald Trump não estava na Casa Branca e não foi a primeira fez que uma pessoa ultrapassou o perímetro da residência oficial do Presidente.

Em setembro de 2014, um antigo combatente com perturbações mentais conseguiu entrar no interior da Casa Branca, com um canivete no bolso, depois de ter passado por baixo da cancela e ter atravessado a entrada a correr.

Coreia do Norte lança novo 'rocket'

 

PUB

A Coreia do Norte lançou este sábado um novo 'rocket' de alto desempenho, numa ação supervisionada pelo líder norte-coreano, Kim Jong-Un, anunciou a imprensa estatal.

Kim Jong-Un "enfatizou que o mundo irá em breve observar o significado que a grande vitória de hoje representa", noticiou a KCNA.

Observadores internacionais afirmam que o programa espacial de Pyongyang, com recurso ao nuclear, é uma forma de encobrir testes de armas.

O novo secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, visitou na semana passada a Coreia do Sul, onde anunciou que os Estados Unidos não pretendem manter a abordagem "falhada" da diplomacia paciente com Pyongyang, e avisou que uma ação militar norte-americana contra a Coreia do Norte é uma opção "em cima da mesa".

Explosão mata uma pessoa e causa sete feridos

 

PUB

Um homem morreu e sete pessoas ficaram feridas, três com gravidade, numa explosão no sábado, num apartamento em Bruxelas, tudo indica que causada por uma fuga de gás.

"Esta tarde os residentes de duas casas foram atingidos por uma explosão, seguida de um incêndio. Sete pessoas foram transportadas para dois hospitais. (...) Três estão gravemente feridas, incluindo um bebé de dois anos e uma criança de 15 anos. Ao fim da tarde o corpo de um homem foi encontrado nos escombros", indicou o Ministério Público em comunicado, no sábado, explicando que o corpo não foi ainda identificado formalmente.

Em declarações aos canais televisivos belgas RTL e RTBF, o presidente da câmara Charles Picque disse que "a explosão foi provavelmente acidental e causada por uma fuga de gás".

A Bélgica está em estado de alerta desde que, a 22 de março do ano passado, três bombistas suicidas atacaram o aeroporto de Bruxelas e uma estação de metro perto da sede da União Europeia, matando 32 duas e ferindo centenas.

jornal “Jornal de Notícias” (Portugal), 19.03.2017

 

 

Trump diz a Merkel que membros da NATO devem "pagar a sua parte"

Foto: Jim Bourg/Reuters

O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta sexta-feira, ter novamente garantido à chanceler alemã, Angela Merkel, o seu "forte apoio" à NATO, mas reafirmou também a necessidade dos restantes Estados-membros aumentarem a respetivas contribuições.

"Reiterei à chanceler Merkel o meu forte apoio à NATO, bem como a necessidade dos nossos aliados na NATO pagarem a sua parte justa para a defesa" da Aliança Atlântica, disse Trump numa conferência de imprensa conjunta com a líder alemã na Casa Branca.

Esta é a primeira viagem de Merkel a Washington desde que Trump chegou à Casa Branca, no passado dia 20 de janeiro.

Sobre um dos temas mais aguardados e talvez mais polémicos deste encontro, Donald Trump declarou que a imigração é "um privilégio, não um direito".

"A segurança dos nossos cidadãos deve sempre vir em primeiro lugar. Sem qualquer dúvida", salientou o Presidente norte-americano, que enfrenta uma batalha judicial por causa de um decreto anti-imigração que visa proibir, segundo a mais recente versão, a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de seis países de maioria muçulmana e suspender o programa de acolhimento de refugiados.

Na mesma conferência de imprensa, o Presidente dos Estados Unidos sublinhou a necessidade de alcançar uma solução "pacífica" no conflito da Ucrânia.

O chefe de Estado norte-americano referiu ter apreciado os esforços da chanceler alemã "para resolver o conflito na Ucrânia, onde, idealmente, procuramos uma solução pacífica", disse Trump.

Na quinta-feira, os Estados Unidos voltaram a condenar a Rússia pela anexação da península ucraniana da Crimeia e pediram na mesma altura o fim imediato dessa anexação.

Dois baleados à porta de discoteca de Lisboa estão em perigo de vida

Uma rixa à porta de uma discoteca na zona de Alcântara, em Lisboa, ocorrida na manhã deste domingo, provocou ferimentos em três jovens.

Dois deles, com idades entre os 18 e os 20 anos, atingidos a tiros, encontram-se em perigo de vida.

O incidente correu, pouco depois das 6 horas, à porta da discoteca Luanda, na Travessa de Teixeira Júnior, envolvendo um número não determinado de pessoas.

Houve uma troca de tiros e uma das vitimas foi atingida com dois disparos nas costas, tendo sido transportada para o Hospital de S. Francisco Xavier, onde está a ser sujeita a uma intervenção cirúrgica, encontrando-se em risco de vida, segundo uma informação da PSP de Lisboa.

O outro ferido foi levado para o Hospital de Santa Maria e também está a ser operado, sendo o seu estado considerado muito grave.

A PSP esteve no local, bem como a Policia Judiciária, que vai investigar o incidente.

Jovem de 18 anos morta com 12 tiros em ginásio no Brasil

Uma rapariga de 18 anos foi abatida com 12 tiros num ginásio em Catu, no Estado brasileiro da Baía, na noite de quinta-feira.

Segundo a Polícia, dois homens chegaram ao local de mota e cometeram o crime com os capacetes postos.

No ginásio, que se situa no primeiro andar de uma loja, encontravam-se cerca de 20 pessoas no momento dos disparos. Os suspeitos disseram a todos para se deitarem, dirigiram-se à vítima e mataram-na com 12 tiros.

As autoridades desconhecem, para já, as motivações do homicídio.

Os suspeitos encontram-se em fuga.

 

Atleta morre atingido por palmeira no Brasil

 

Um atleta do Rio de Janeiro morreu após ser atingido por uma palmeira durante uma prova de obstáculos, este sábado.

Wagner Leão tinha viajado para Vila Velha, no Estado brasileiro do Espírito Santo, especialmente para participar neste competição.

"É uma palmeira da natureza, que estava sendo utilizada como apoio para uma rede, onde o corredor precisava passar por cima", disse fonte da organização da corrida ao "Globo".

Antes do incidente, cerca de 50 pessoas já tinham passado pelo local.

Os obstáculos "foram montados com antecedência e foram feitos testes", garante a mesma fonte.

Wagner Leão foi transportado para o Hospital São Lucas, em Vitória, onde acabou por não resistir aos ferimentos.

 

Encontrados 4 chineses na mala de um carro que entrava ilegalmente nos EUA

 

Um condutor que tentava entrar ilegalmente nos Estados Unidos foi detido, esta terça-feira à tarde, depois de as autoridades terem descoberto quatro imigrantes de nacionalidade chinesa na mala do seu carro.

O alegado traficante, um cidadão norte-americano de 24 anos, tentava passar a fronteira norte-americana com o México, na cidade de San Diego, quando a Polícia Alfandegária e de Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos o mandou parar, de acordo com comunicado emitido pelas mesmas autoridades.

"Esconder as pessoas nos veículos é perigoso e pode ter consequências graves", afirmou Pete Flores, que chefiava a equipa que estava no terreno, acrescentando que "os agentes conseguiram travar uma violação da lei de imigração e foram capazes de resolver o incidente com segurança".

Segundo a nota emitida, uma equipa de cães-polícia - treinada para detetar narcóticos e pessoas - foi essencial no alerta da situação, que levou os agentes a retirarem da mala do carro do suspeito três mulheres e um homem, todos de nacionalidade chinesa.

O carro do suspeito foi apreendido e o homem está detido enquanto aguarda pelo julgamento. Os quatro cidadãos chineses que, segundo as autoridades não tinham autorização legal para entrarem nos EUA, estão num centro de acolhimento de estrangeiros enquanto não são expulsos do país.

 

 Três tigres bebés salvos no aeroporto de Beirute

Um grupo libanês de defesa dos animais anunciou este sábado ter salvado três pequenos tigres da Sibéria, desidratados e cheios de vermes, que estavam no aeroporto de Beirute em trânsito para um jardim zoológico na Síria.

A "Animals Lebanon" explicou que resgatou as crias no início da semana, depois de terem passado mais de sete dias fechados em condições "inaceitáveis" no aeroporto de Beirute.

Os animais chegaram a 7 de março ao aeroporto de Beirute vindos da Ucrânia. E passaram uma semana dentro de uma caixa de madeira, por supostas confusões sobre a viagem, disse a vice-presidente da organização Maggie Shaarawi.

"Ninguém lá foi, não havia uma opção para eles urinarem, estavam no meio de urina e fezes, não havia forma de beberem", disse a responsável citada pela Agência de Notícias francesa, AFP.

Imagens fornecidas pela "Animals Lebanon" mostram os pequenos tigres debilitados, cobertos de vermes e de excrementos, que se contorciam quando os voluntários abriram a minúscula caixa de madeira que tinha apenas alguns buracos para eles respirarem.

Quando o grupo de defesa dos animais soube da expedição dos tigres pediu ao Ministério da Agricultura para que se inteirasse sobre as condições da viagem e da conformidade com as convenções libanesas e internacionais.

Um juiz ordenou então que os animais fossem entregues à "Animals Lebanon" devido "às sérias preocupações sobre o seu estado de saúde", disse o grupo.

Shaarawi não disse onde é que estavam agora os tigres mas garantiu que eles vão permanecer sob proteção da organização até que a justiça decida "o reenvio, ou não, para o seu proprietário".

A licença que acompanhava a expedição dos animais indicava o envio por um "empresário privado" da Ucrânia para o "Zoo Samer Alehsenawi", perto de Damasco, constatou a AFP.

Em julho, o ministério libanês da Agricultura tinha emitido um decreto para parar o tráfico (importante no Líbano) de grandes felinos, como leões, tigres e pumas, impondo aos jardins zoológicos autorizações oficiais.

O Líbano é desde 2013 membro da Convenção internacional sobre espécies selvagens ameaçadas de extinção - CITES

jornal “Jornal de Angola” (Angola), 19.03.2017

Premissas para o desenvolvimento


19 de Março, 2017

Angola propôs, em Dakar, Senegal, a promoção de programas tendentes ao incentivo e melhoria das condições de vida das populações em África.

A posição foi manifestada pelo secretário de Estado da Educação, Narciso Benedito, no âmbito da trienal 2017 de Educação e Formação em África, realizada durante quatro dias na cidade senegalesa de Dakar.
Narciso Benedito apontou a promoção da boa governação para o êxito das reformas. “Se as reformas não estão a dar os resultados que esperamos, é chegado o momento de mudar de estratégia, de reformar para transformar”, afirmou, indicando que o procedimento seguinte deve consistir em reconstruir e não revitalizar os processos em curso para melhoria do sistema de educação em África.
Para o progresso e desenvolvimento que se pretende, alertou para a garantia da efectivação da cooperação sul-sul, mediante o reforço das temáticas prioritárias dos sistemas educativos em curso.
O estabelecimento de um sistema educativo flexível e completo que agilize o desenvolvimento das sociedades deve ser a prioridade, apontou Narciso Benedito, reforçando que os governos devem estabelecer metas e priorizar o financiamento da educação nos seus programas. A formação dos formadores (professores) também deve ser reforçada, como forma de acompanhamento do sistema evolutivo que se pretende. “As reformas em curso devem ser acompanhadas do reforço da formação e capacitação dos professores para melhor potenciá-los”, realçou.
O secretário de Estado fez referência aos vários aspectos abordados durante a trienal, afirmando que estão identificados os proble       mas de que enferma o sector em África, pelo que a sua resolução passa pela qualidade e competência dos professores. Narciso Benedito integrou a delegação angolana que participou na trienal sobre Educação e Formação em África, que foi encabeçada pelo ministro da Educação, Mpinda Simão, e contou ainda com o embaixador de Angola na Guiné-Bissau, Gâmbia e Senegal, Daniel Rosa, quadros seniores do Ministério da Educação e diplomatas angolanos. Co-organizado pelo Governo do Senegal, a União Africana e a Associação de Desenvolvimento da Educação, esta edição da trienal teve como tema central “Revitalizar a Educação com vista ao alcance da agenda continental 2063 e da agenda global 2030”. 
O evento juntou decisores e fazedores de políticas de educação e formação, e parceiros de cooperação para o desenvolvimento.

 

Uhuru Kenyatta acciona o exército


19 de Março, 2017

Fotografia: DR

O Presidente do Quénia ordenou ontem os militares que se deslocassem aos departamentos administrativos de Baringo e Laikipia, para controlar a violência provocada por uma seca que afecta cerca de metade do país. Uhuru Kenyatta autorizou a deslocação imediata das Forças de Defesa do Quénia para apoiar a acção da polícia.

Pelo menos 21 pessoas foram mortas durante os confrontos entre pastores no condado de Baringo desde o início de Fevereiro, dos quais 13 só esta semana. E no de Laikipia, um rancheiro britânico foi morto este mês por pastores que invadiram ranchos em busca de pasto e água.
Os militares quenianos têm sido acusados de abusos de direitos humanos, incluindo torturas e execuções, em várias acções de segurança interna. Porém, a força policial tem sofrido os ataques mais mortíferos da sua história às mãos dos pastores. Pelo menos 42 polícias foram mortos em Novembro de 2012, quando procuravam perseguir pastores que tinham roubado gado a uma comunidade rival.
Em Novembro de 2014, 21 agentes policiais foram mortos quando perseguiam pastores Pokot em Kapedo, nos limites dos condados de Turkana e Baringo.

Catástrofe na Somália

Na região leste de África, além do Quénia, também a Somália declarou uma situação de desastre nacional devido à seca. O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, tinha apelado aos países ricos para que se mobilizassem contra uma seca severa no leste de África.
No início deste mês, o novo Presidente somali, Mohamed Abdullahi Mohamed (Farmajo), decretou, em Mogadíscio, como “catástrofe nacional” a grave seca que assola o seu país e, que segundo as agências humanitárias internacionais, a fome ameaça pelo menos três milhões de pessoas. 
O Presidente apelou à comunidade internacional a reagir com urgência face à catástrofe, afim de ajudar as famílias a se recuperarem dos efeitos da seca para evitar uma tragédia humanitária, segundo um comunicado da Presidência somali.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertia, ao mesmo tempo, que a Somália corria o risco de conhecer uma terceira situação de fome em 25 anos. 
A última crise foi registada na Somália em 2011, resultado de uma anterior grave seca no Corno de África, agravada pelo conflito com a insurreição islamita shebab.
A Organização Mundial da Saúde  estima que na Somália mais de 6,2 milhões de pessoas, ou seja a metade da população, necessita de uma ajuda humanitária de urgência, incluindo quase três milhões de pessoas que sofrem de fome.
De acordo com a agência das Nações Unidas, mais de 363 mil crianças estão gravemente malnutridas, entre as 70 mil gravemente desnutridas, necessitam com urgência uma ajuda vital. O fenómeno da seca, que compromete a produção de alimentos, afecta também países como o Iémen, a Nigéria e o Sudão do Sul, onde a fome atinge 100 mil pessoas. Mais de 20 milhões de pessoas correm o risco de morrer de fome nestes países.

Ajuda do Canadá contra a fome

O Governo do Canadá anunciou uma ajuda financeira de 120 milhões de dólares canadianos (84 milhões de euros) para dar resposta às necessidades das populações afectadas pela crise alimentar na Nigéria, na Somália, no Sudão do Sul e no Iémen. 
“A situação deteriorou-se a tal ponto que se tornou uma tragédia humana, porque mais de 20 milhões de pessoas são vítimas da fome”, estimou a ministra do Desenvolvimento Internacional, Marie-Claude Bibeau.
Os três países africanos e o Iémen, confrontados com conflitos armados, foram identificados pela Organização das Nações Unidas (ONU) como necessitando de uma mobilização urgente da comunidade internacional para reunir 4,4 mil milhões de dólares dos EUA até Julho, para “evitar uma catástrofe”.
A participação do Canadá “vai permitir dar uma ajuda vital às populações afectadas pela crise nestes países”, em particular às crianças, indicou o Ministério canadiano do Desenvolvimento.

 

 

Namíbia exige à Alemanha indemnização por genocídio


19 de Março, 2017

A Namíbia pretende processar a Alemanha e exigir até 30 mil milhões de dólares de compensação pelo genocídio cometido no seu território pelas autoridades coloniais alemãs no início do século XX.

De acordo com documentos oficiais consultados pelo diário The Namibian e pela agência AFP, as autoridades namibianas estão a constituir uma equipa de juristas para a apresentação a um tribunal internacional de uma queixa por violação de direitos do homem, que inclua “um pedido de desculpas e reparações”.
O ministro namibiano da Justiça, Sacky Shanghala, confirmou esta semana à Agência France Press a constituição da referida equipa.
De 1904 a 1908, a Alemanha conduziu uma guerra sistemática às tribos Nama e Herero na sua colónia da Namíbia, então designada África Alemã do Sudoeste, que durou entre 1884 e 1915.
A repressão colonial alemã da revolta provocada pelo confisco das terras destes indígenas provocou pelo menos 65 mil vítimas, o que foi considerado por historiadores como o primeiro genocídio do século XX.
A Alemanha desde há muito que tem recusado admitir a gravidade dos factos, mas vários dos seus representantes também já utilizam o termo “genocídio”. Desde há dois anos que os dois Estados negoceiam uma declaração formal, na qual Berlim apresentaria desculpas pelos massacres dos indígenas e admitiria uma compensação global, na forma de ajuda ao desenvolvimento específica para os descendentes das vítimas.
Mas os representantes dos Namas e Hereros contestam estas discussões e apresentaram queixa contra a Alemanha perante um tribunal federal dos EUA, que relançou o assunto na quinta-feira. A Namíbia tem-se mantido afastada desta queixa, mas decidiu exigir também compensações financeiras.
Em declaração divulgada ontem, o Vice-Presidente namibiano, Nickey Iyambo, indicou que o seu Governo tinha submetido em Julho de 2016 ao seu homólogo alemão um relatório sobre as questões do genocídio, das desculpas e das reparações.
“Estamos convencidos de que o Governo da República Federal da Alemanha vai dar a maior atenção a este documento”, estimou o dirigente.
Iyambo acrescentou que o seu país estava determinado a chegar a “uma solução amigável para esta triste história”.

Read 74 times Last modified on segunda, 20 março 2017 11:08